Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Santeiros e Geira Romana no norte do País candidatos a Património da Humanidade

Artesãos da Trofa e via romana única na Península Ibérica candidatas à UNESCO.
Miguel Azevedo 14 de Maio de 2021 às 08:22
A Geira Romana em Terras de Bouro, em Braga, tem cerca de 318 quilómetros de comprimento
Os Santeiros de São Mamede do Coronado, na Trofa
A Geira Romana em Terras de Bouro, em Braga, tem cerca de 318 quilómetros de comprimento
Os Santeiros de São Mamede do Coronado, na Trofa
A Geira Romana em Terras de Bouro, em Braga, tem cerca de 318 quilómetros de comprimento
Os Santeiros de São Mamede do Coronado, na Trofa
A Geira Romana (via romana), em Terras de Bouro, Braga, e os Santeiros (artesãos) de São Mamede do Coronado, na Trofa, podem vir a ser Património da Humanidade muito em breve.

O processo de candidatura da Geira Romana, também chamada Via XVII, já foi apresentada pela Câmara de Terras de Bouro à Comissão Nacional da UNESCO, justificando a iniciativa por se tratar de “uma das estradas romanas mais bem conservadas e mais investigadas do noroeste da Península Ibérica”. A Via XVII do Itinerário de Antonino ligava Bracara Augusta (Braga) a Asturica Augusta, em Astorga, em Espanha, ao longo de 240 milhas romanas, ou seja, cerca de 318 quilómetros.

Quanto à candidatura dos Santeiros, processo foi iniciado agora pela Câmara da Trofa. Segundo o presidente da autarquia, Sérgio Humberto, a decisão é sustentada pela “necessidade de salvaguarda de um ofício ancestral, documentado na localidade desde o século XIX” e cuja tradição querem “proteger e preservar, projetando-a no futuro”, para que “não fique presa no passado”. Os santeiros, como localmente são conhecidos, esculpem e pintam à mão, em contexto oficinal, imagens de vulto devocionais em madeira.
Ver comentários