Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Violação policial convence no Lisbon & Estoril Film Festival

“Este filme foi um milagre. Fizemo-lo sem dinheiro nenhum, sem nada. Pedimos duas câmaras emprestadas a uns amigos e tínhamos esta história para contar”. Foi com estas palavras que a realizadora russa Angelina Nikonova recebeu, na final da tarde deste domingo, no Cinema São Jorge, Lisboa, o Prémio para Melhor Filme do Lisbon & Estoril Film Festival 2011.
14 de Novembro de 2011 às 01:00
Angelina Nikonova ao receber o prémio de melhor filme do festival. A seu lado a actriz Marisa Paredes (à esquerda) e Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura da CML
Angelina Nikonova ao receber o prémio de melhor filme do festival. A seu lado a actriz Marisa Paredes (à esquerda) e Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura da CML FOTO: João Miguel Rodrigues

‘Twilight Portrait' (‘Retrato ao Crespúsculo' em tradução literal) - a primeira longa-metragem de Angelina Nikonova depois de uma curta premiada na Florida e em Moscovo e de um documentário - conta a história de uma assistente social cuja vida é virada do avesso a partir do momento em que é violada por três polícias. 

O filme convenceu o júri do festival deste ano, que distinguiu também ‘Une Vie Meilleure' (literalmente ‘Uma Vida Melhor') do francês Cédric Khan, com o Prémio Especial do Júri. Khan foi, aliás, um dos protagonistas da noite, ao juntar essa estatueta a outra - a do Prémio Cineuropa. "Não estou muito habituado a prémios...", dizia ele, com dois na mão.

Numa cerimónia em que o único realizador português distinguido foi Ana Delgado Martins (Prémio Canon para Melhor Curta-Metragem com ‘Encadeados'), também Marisa Paredes foi estrela: a actriz de Almodóvar, que veio a Lisboa para promover ‘A pele onde eu vivo', de Pedro Almodóvar, o encerrou o festival, no São Jorge, ia caindo numa rampa de um palco muito mal iluminado.

Nos prémios foram ainda distribuídas duas menções honrosas - a Joachim Trier, por ‘Oslo, August 31st', e a Bujar Alimani, por ‘Aministia' - e distinguidos os melhores alunos de cinema das escolas europeias.

LISBOA VOLTA PARA O ANO

O festival, organizado pela quinta vez, estendeu-se pela primeira vez a Lisboa, onde promete voltar para o ano, numa parceria entre as câmaras da capital e Cascais. 

HOMENAGEM A ALEKSEI GERMAN

O director do festival, Paulo Branco, decidiu este ano homenagear uma grande figura do cinema russo: o realizador Aleksei German será alvo de uma retrospectiva completa.

JURI MULTIFACETADO

O júri de 2011 foi multidisciplinar: reuniu os escritores Don DeLillo, Paul Auster, Siri Hustvedt e JM Coetzee (Nobel da Literatura), o músico Gidon Kremer e o artista plástico José Barrias.

Ver comentários