Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

FC Porto soma mais duas Supertaças do que todos os outros clubes juntos

Formação 'azul e branca', ausente da edição 2020/21, ao falhar as vitórias na I Liga (Sporting) e Taça de Portugal (Sporting de Braga), lidera o 'ranking' com mais 14 cetros.
Lusa 29 de Julho de 2021 às 09:10
FC Porto - Imagem de arquivo
FC Porto - Imagem de arquivo FOTO: Direitos Reservados
O FC Porto é o 'rei' incontestável da história da Supertaça Cândido de Oliveira em futebol, ao somar 22 troféus, mais dois do que todos os outros clubes juntos, em 42 edições da prova criada em 1978/79.

A formação 'azul e branca', ausente da edição 2020/21, ao falhar as vitórias na I Liga (Sporting) e Taça de Portugal (Sporting de Braga), lidera o 'ranking' com mais 14 cetros do que os 'leões' e o Benfica.

Os 'dragões' são a equipa com mais presenças (31), jogos (55), vitórias (27), golos marcados (70), liderando também nos empates (14). Só 'perdem', para as 'águias', nas derrotas (14 contra 17) e nos golos sofridos (43 contra 44).

Em matéria de recordes, o FC Porto, que tem o jogador (João Pinto, com oito) e o treinador (Artur Jorge, com três) com mais troféus, também foi a equipa que venceu mais vezes seguidas, num total de cinco, entre as edições de 2008/09 e 2012/13.

O conjunto portista bateu sucessivamente Paços de Ferreira (2-0, em 2009), Benfica (2-0, em 2010), Vitória de Guimarães (2-1, em 2011), Académica (1-0, em 2012) e, novamente, os vimaranenses (3-0 em 2013).

Após o triunfo sob o comando de Paulo Fonseca, os 'dragões' somaram mais dois triunfos, já liderados por Sérgio Conceição, ao baterem o Desportivo das Aves por 3-1, em 2017/18, e o Benfica por 2-0, em 2019/20.

Num embate disputado no Estádio Municipal de Aveiro, em 23 de dezembro de 2020, à porta fechada, devido à pandemia da covid-19, Sérgio Oliveira, aos 25 minutos, de penálti, e o colombiano Luis Díaz, aos 90, selaram o 22.º cetro portista.

Onze das 22 conquistas dos 'azuis e brancos' aconteceram, precisamente, face ao Benfica, em apenas 12 'duelos', o que significa que só perderam uma vez face aos 'encarnados', na edição de 1984/85.

O Vitória de Guimarães foi a outra equipa face à qual o FC Porto também ganhou mais do que uma vez, o que aconteceu em 2010/11 e 2012/13.

Os 'dragões' bateram ainda Estrela da Amadora (1989/90), Sporting de Braga (1997/98), Beira-Mar (1998/99), Boavista (2000/01), União de Leiria (2002/03), Vitória de Setúbal (2005/06), Paços de Ferreira (2008/09), Académica (2011/12) e Desportivo da Aves (2017/18).

O segundo lugar do 'ranking' é partilhado por Sporting e Benfica, sendo que os 'leões' foram os primeiros a chegar aos oito triunfos, com a vitória na edição 2014/15, precisamente face aos 'encarnados', por 1-0, no primeiro jogo oficial de Jorge Jesus pelos 'leões', após seis anos na Luz.

Os 'leões' superam mais uma vez o Benfica (1986/87), ganharam nas quatro ocasiões em que defrontaram o FC Porto (1994/95, 1999/00, 2006/07, 2007/08) e venceram ainda Sporting de Braga (1981/82) e Leixões (2001/02).

Quanto ao Benfica, e além do triunfo de 1984/85 com os 'dragões', bateu duas vezes o Sporting (1979/80 e 2018/19) e uma Belenenses (1988/89), Vitória de Setúbal (2004/05), Rio Ave (2013/14), Sporting de Braga (2015/16) e Vitória de Guimarães (2016/17).

Aos 'grandes', apenas 'fugiram' quatro troféus, o último há quase 24 anos, todos 'patrocinados' pelo FC Porto, que perdeu face ao Boavista em 1978/79, 1991/92 e 1996/97 e ao Vitória de Guimarães em 1987/88.

As restantes 11 equipas que participaram na Supertaça nunca venceram, nomeadamente Sporting de Braga (três presenças), Vitória de Setúbal (duas) e Estrela da Amadora, Rio Ave, União de Leiria, Académica, Paços de Ferreira, Leixões, Beira-Mar, Belenenses e Desportivo das Aves (todos uma).

A Supertaça começou a disputar-se em 1979 e as duas primeiras edições foram oficiosas, com o Boavista a sagrar-se o primeiro vencedor, ao bater o FC Porto em pleno Estádio das Antas por 2-1. A segunda já se disputou em dois jogos.

Já com a 'chancela' oficial da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), a prova continuou em duas mãos até 1999/2000, passando em 2000/2001 a realizar-se novamente num só jogo, em campo neutro.

O palco foi variando (Vila do Conde, Setúbal, Guimarães, Coimbra e Leiria), passou três vezes pelo Algarve e instalou-se em Aveiro, que no sábado recebe a Supertaça Cândido de Oliveira pela 11.ª vez, nos últimos 13 anos.

Ver comentários