Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Governo brasileiro confirma Copa América no país e anuncia sedes do torneio

Brasília, Rio de Janeiro, Cuiabá e Goiânia irão receber as partidas da prova.
Correio da Manhã e Lusa 1 de Junho de 2021 às 22:48
Copa América em 2019
Copa América em 2019 FOTO: Reuters
O governo brasileiro, através do ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, confirmou esta terça-feira a realização da Copa América no Brasil, em anúncio feito pelo próprio ministro em publicação nas redes sociais. 

De acordo com executivo, presidido por Jair Bolsonaro, os jogos irão realizar-se nas unidades federativas do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás, e não contarão com público.

"Confirmada a Copa América no Brasil. Venceu a coerência! O Brasil que sedia jogos da Libertadores, Sul-Americana, sem falar nos campeonatos estaduais e brasileiro, não poderia virar as costas para um campeonato tradicional como este. As partidas serão em MT [Mato Grosso], RJ [Rio de Janeiro], DF [Distrito Federal]e GO [Goiás], sem público", informou o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, na rede social Twitter.

Também o Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, aproveitou a presença da imprensa numa cerimónia relacionada com vacinas contra a covid-19 para declarar que o Brasil está em "condição de realizar a Copa América", num momento em que o país ultrapassou as 465 mil mortes devido ao novo coronavírus.

"Como tem um facto novo que tem a ver com a paixão nacional, informo que fui procurado pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol) com anúncio de que a Federação Argentina de Futebol não tinha condições de realizar a Copa América. (...) Ouvi os ministros interessados, apresentamos os argumentos. Já foram [realizados] aproximadamente 80 jogos na América do Sul, sem problema nenhum", argumentou o chefe de Estado.



De acordo com Bolsonaro, além do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Goiás, um quinto Estado também aceitou receber os jogos da competição, cujo início está marcado o próximo dia 13 de junho, mas "chegou um pouco atrasado", não tendo revelado o nome dessa unidade federativa.

Governadores de outros Estados brasileiros já haviam anunciado que não aceitariam receber jogos por causa da pandemia.

"Considero, da parte do Governo federal, (...) assunto encerrado. Todos os meus ministros são favoráveis à Copa América no Brasil com os mesmos protocolos das Eliminatórias (da Copa do Mundo) e da Libertadores. Caso encerrado", frisou o Presidente, num evento, em Brasília.

A decisão que coloca o Brasil como sede do torneio de futebol tem sido fortemente criticada por diversos setores políticos e especialistas em saúde, devido ao recrudescimento das infeções nas últimas semanas e à possibilidade de uma terceira vaga da pandemia.

Contudo, o mandatário brasileiro mostrou-se sempre favorável à realização do torneio no país, apesar do preocupante avanço da pandemia e da grande circulação de variantes mais contagiosas, como o P.1, detetada no Amazonas.

A Copa América foi confirmada no Brasil na segunda-feira pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL), depois de a Colômbia e Argentina terem desistido de organizá-la.

O Brasil, um dos países mais afetados pela pandemia em todo o mundo, totaliza 465.199 óbitos e 16.624.480 infeções pelo novo coronavírus.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.551.488 mortos no mundo, resultantes de mais de 170,6 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.
Casa Civil Rio de Janeiro Luiz Eduardo Ramos Brasília Cuiabá Goiânia desporto futebol
Ver comentários