Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

João Almeida lidera seleção portuguesa na Flandres

Portugal será representado por 17 ciclistas nos mundiais de ciclismo de estrada na Bélgica.
Lusa 17 de Setembro de 2021 às 08:54
João Almeida
João Almeida FOTO: Cofina
Um moralizado João Almeida vai liderar a seleção portuguesa na prova masculina de fundo dos Mundiais de ciclismo de estrada, na Flandres, onde Portugal será representado por 17 ciclistas, em ação de domingo a domingo.

Os Mundiais arrancam este domingo, com o contrarrelógio de elite masculina - 43,3 quilómetros maioritariamente planos entre Knokke e Bruges -, e decorrem até 26 de setembro, dia da prova de fundo do mesmo pelotão.

Os primeiros a entrar em ação serão Nelson Oliveira (Movistar), um 'veterano' da especialidade, e Rafael Reis, o ciclista da Efapel que é o único representante do pelotão nacional entre os elite.

O ciclista de Anadia, de 32 anos, já foi quarto no 'crono' do Campeonato do Mundo de 2017, e anda sempre perto das medalhas nos grandes eventos internacionais, enquanto Reis é o vice-campeão nacional.

O campeão português de contrarrelógio, João Almeida (Deceuninck-QuickStep), termina no sábado a Volta ao Luxemburgo, de onde sairá moralizado por uma vitória em etapa e uma boa prestação ao longo da semana, para liderar o sexteto presente na corrida de fundo.

Programada como se de uma clássica da Flandres se tratasse, no centenário dos Mundiais, a prova mantém as típicas características da zona, uma das mais típicas e afamadas do ciclismo mundial, com 268,3 quilómetros entre Antuérpia e Lovaina com subidas curtas e 'empinadas' e vários troços em empedrado.

Além deste trio, completam a equipa nacional Ruben Guerreiro (EF Education-Nippo), Rui Oliveira (UAE Emirates) e a 'novidade', face à lista nos Europeus, André Carvalho (Cofidis).

O jovem corredor, a fazer este ano a estreia no WorldTour, ocupa a vaga deixada pelo campeão mundial de 2013, Rui Costa (UAE Emirates), o grande ausente luso, após considerar que o percurso não se adapta às suas características.

Assim, tanto a 'explosão' de Guerreiro como os créditos firmados de Almeida, que este ano foi sexto na Volta a Itália, venceu o título nacional de 'crono', foi aos Jogos Olímpicos e aos Europeus, além de vencer a Volta à Polónia, são as principais 'armas' à disposição de José Poeira.

Na prova feminina de elite, e na ausência de uma categoria sub-23 na qual 'encaixariam', estarão a olímpica Maria Martins (Drops), campeã nacional de fundo, e Daniela Campos (Bizkaia Durango), com esta última a disputar o contrarrelógio, disciplina em que é também a número um nacional.

Fábio Costa (Efapel), Miguel Salgueiro (LA Alumínios) e Pedro Miguel Lopes (Kelly-Simoldes-UDO) alinharão na prova sub-23 masculina, com António Morgado e Gonçalo Tavares (Bairrada), que estarão no 'crono', a liderarem nos juniores uma formação completa com Diogo Pinto (Academia Joaquim Agostinho-CYR-UDO) e Lucas Lopes (Póvoa de Varzim-CDC Navais).

Beatriz Roxo (Academia de Ciclismo de Paredes) junta-se a Sofia Gomes (Vesam-Blok-Vilanovense), que já tinha estado no Europeu, nas juniores femininas, correndo apenas a prova de fundo, de 75 quilómetros com partida e chegada em Lovaina.

Os Mundiais abrem com o 'crono' da elite masculina, seguindo-se o contrarrelógio feminino e de sub-23, na segunda-feira, e o dos juniores, no dia seguinte, com as provas de fundo a arrancarem em 24 de setembro (juniores masculinos e sub-23).

No dia 25, é a vez das juniores femininas percorrem 75 quilómetros com início e final em Lovaina, cidade também de chegada da prova de fundo de elite feminina, após 157,7 quilómetros.

O programa encerra no domingo com a disputa do título mais emblemático, com Lovaina a coroar o sucessor do francês Julian Alaphilippe.

Ver comentários