Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Jogos Olímpicos Tóquio 2020 sem festa nem público

Campeões Telma Monteiro e Nelson Évora transportaram a bandeira. Grupo munido de máscara dançou e gritou o nome de Portugal.
Manuela Guerreiro e Lusa 24 de Julho de 2021 às 09:49
Portugal nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020
 ‘Seguir em frente’ foi o tema da cerimónia de abertura, numa alusão à crise sanitária global mas também ao tsunami de 2011
 ‘Seguir em frente’ foi o tema da cerimónia de abertura, numa alusão à crise sanitária global mas também ao tsunami de 2011
Equipa de Angola leva 39 atletas
Brasil tem uma delegação de 302 atletas
Surfista Frederico Morais
Portugal nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020
 ‘Seguir em frente’ foi o tema da cerimónia de abertura, numa alusão à crise sanitária global mas também ao tsunami de 2011
 ‘Seguir em frente’ foi o tema da cerimónia de abertura, numa alusão à crise sanitária global mas também ao tsunami de 2011
Equipa de Angola leva 39 atletas
Brasil tem uma delegação de 302 atletas
Surfista Frederico Morais
Portugal nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020
 ‘Seguir em frente’ foi o tema da cerimónia de abertura, numa alusão à crise sanitária global mas também ao tsunami de 2011
 ‘Seguir em frente’ foi o tema da cerimónia de abertura, numa alusão à crise sanitária global mas também ao tsunami de 2011
Equipa de Angola leva 39 atletas
Brasil tem uma delegação de 302 atletas
Surfista Frederico Morais
Eram 14h14 em Portugal continental quando uma versão muito curta da delegação portuguesa que participa nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 desfilou no Estádio Nacional da capital japonesa.

Comitivas mais pequenas, atletas de máscara e sem público nas bancadas. Enfim, um pouco mais triste do que é habitual.

A comitiva com as cores nacionais entrou em 169º lugar, tinha cerca de duas dezenas de atletas, dois dos quais porta-estandartes - em dupla, para promover a igualdade de género - mas rodopiou, dançou e gritou o nome de Portugal.

Os jogos já começaram, mas são os mais azarados de sempre – realizam-se um ano depois do previsto, devido à pandemia de Covid-19, e a bolha criada para evitar as infeções não está a conseguir travar a propagação do vírus na aldeia olímpica. E Portugal também já conheceu a sua primeira derrota frente, precisamente, ao novo coronavírus. Horas antes da cerimónia de abertura, o surfista Frederico Morais testou positivo à Covid-19 e nem sequer chegou a partir (ver caixa). Mas a esperança viajou para Tóquio e está com a comitiva portuguesa e nos corações dos 91 atletas que vão competir em 17 modalidades.

“Amamos Portugal e é um sentimento fantástico estar aqui, nestes Jogos Olímpicos. Estou verdadeiramente orgulhosa.” Palavras da judoca Telma Monteiro, medalha de bronze nos jogos Rio 2016, que esta sexta-feira liderou, ao lado de Nelson Évora, campeão do triplo salto em Pequim 2008, a delegação portuguesa na cerimónia de abertura. A tenista japonesa Naomi Osaka acendeu a chama olímpica e o imperador do Japão, Naruhito, declarou oficialmente abertos os Jogos da XXXII Olimpíada, que irão decorrer até 8 de agosto. Serão 16 dias de competição, num contexto muito particular e com enormes restrições de mobilidade. “Acreditamos na vossa vontade de vencer. #LetsGoPortugal”, escreveu o primeiro-ministro, António Costa, na rede social Twitter, numa mensagem de orgulho e confiança, a desejar boa sorte aos atletas.

Portugal já conquistou 24 medalhas, quatro das quais de ouro. A primeira, de bronze, foi ganha em 1924, em Paris. 

Surfista Kikas testa positivo à Covid-19 e falha Olimpíadas
O surfista de Cascais Frederico Morais, Kikas como é conhecido, de 29 anos, 11º do circuito mundial, foi a primeira desilusão para a equipa portuguesa das Olimpíadas. Testou positivo à Covid-19 e nem chegou a voar para Tóquio. O surf é uma das cinco novas modalidades olímpicas - a par da escalada, karaté, skate e baseball/softball. A competição começa amanhã, na praia de Tsurigasaki, a cerca de 100 km de Tóquio.
Ver comentários