Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Joker de Jesus oferece título

O Benfica atingiu ontem os 70 golos marcados em correspondência com os 70 pontos que praticamente lhe garantem o título. Sem Saviola e apenas com uma sombra de Cardozo, Jorge Jesus voltou a contar com um joker precioso, o brasileiro Weldon, que pagou a titularidade com o golo mais rápido da época, em lance de oportunidade que serenou os ânimos.
19 de Abril de 2010 às 00:30
Di María fez duas assistências
Di María fez duas assistências FOTO: Paulo Novais/Lusa

O avançado que o treinador mandou contratar, para surpresa geral, apontou metade dos golos da equipa na ausência de Saviola e é o jogador da Liga com melhor rácio de eficácia por tempo de jogo: um a cada 59 minutos, contra 1/103’ de Cardozo, ou 1/173’ de Saviola!

Com jogadores em forma extraordinária, casos de Di María, David Luiz, Fábio Coentrão ou Ruben Amorim, o Benfica garantiu a vitória, mas cometeu alguns erros defensivos – a que não pode ser alheia a ausência de Luisão. Depois dos 4-2 da Figueira da Foz, 3--2 em Coimbra – 18 golos marcados nas últimas seis saídas.

A Académica ainda chegou a repor o empate a meio do primeiro tempo, num remate esquisito de Diogo Gomes que traiu o golpe de vista de Quim, mas o talento de Di María em lance de equilibrismo sobre a linha de fundo, e o sentido de oportunidade de Weldon repuseram a diferença à beira do intervalo.

Na segunda parte, o Benfica foi controlando o jogo, consentiu algumas veleidades à Académica (Éder rematou ao poste numa bola parada), mas ainda viu Carlos Martins rebentar uma bomba no poste esquerdo da baliza de Nereu. Só na parte final do jogo chegou o terceiro golo e a certeza de festa, em nova proeza individual de Di María, oferecendo a finalização a Ruben Amorim. Um novo deslize de Quim no final, voltando a sofrer um golo de Tiero, um ano depois da derrota na Luz, deu ao resultado um formato lisonjeiro.

ANÁLISE

POSITIVO

MATADOR RÁPIDO

Depois de ter ficado fora do dérbi, Weldon regressou, bem mais rápido do que a sombra de Cardozo. Apareceu quando a equipa mais precisava, repetindo o bisda Figueira da Foz, há 15 dias.

NEGATIVO

ERROS INVULGARES

Pela quarta vez, o Benfica sofreu dois golos, em erros pouco habituais – dois remates de longe. Quim só tinha sofrido um golo de fora da área na terceira jornada e já não era batido depois do intervalo há18 jornadas.

ARBITRAGEM

PROVINCIANISMO

Em jogo sem dificuldades de maior, não resistiu às decisões condescendentes com a equipa mais fraca e a manifestações de autoritarismo com os craques. O lado provinciano da arbitragem.

ACADÉMICA: TIERO DO MEIO DA RUA NÃO CHEGA PARA SORRIR

Tiero-O estilo empreendedor não engana e muito do futebol da Académica passa pelos seus pés. Fechou as contas da partida com um golo de belo efeito, de fora da área, mas onde fica a nítida ideia de que Quim podia ter feito bem mais e melhor.

Rui Nereu – Não fica isento de culpas no 1-0. Noite de grande insegurança contra a ex-equipa.

Pedrinho – Apanhou com o elo mais forte (Di María e Coentrão) deste Benfica e nunca virou a cara à luta. Saiu de cabeça erguida.

Berger – Imperial no jogo aéreo, permissivo pela relva.

Luiz Nunes – Muitas dificuldades para travar Weldon. Esteve perto do golo aos 9’. Quim defendeu.

E. Rafael – Dos piores jogos com a camisola da Académica.

Nuno Coelho – Exibição em crescendo de uma das revelações da Liga. Anulou Aimar sem grande esforço, dobrou Pedrinho e Emídio Rafael com perícia e ainda foi lá à frente fazer uma perninha.

Diogo Gomes – Fez o 1-1 após remate de fora da área, ainda desviado por Cardozo. Exímio nas bolas paradas, mas nada mais do que isso.

João Ribeiro – Criatividade não lhe falta mas não lhe peçam para fazer tudo sozinho. Saiu ao intervalo.

Sougou – Velocidade a mais para inteligência a menos. Foi presa fácil para a defesa encarnada.

Éder – Um remate de cabeça a roçar o poste (58’) foi tudo o que dele se viu. Presa fácil.

Vouho – Inconsequente. Só Villas--Boas percebeu o que tentou fazer com a sua entrada.

M. Fidalgo– Nada de relevante.

BENFICA: WELDON-MANIA INVADE ZONA CENTRO DO PAÍS

Weldon- A Weldon-mania veio para ficar. Depois do bis na Figueira da Foz, há 15 dias, mais dois golos a apenas 55 quilómetros de distância. Perante o apagão do matador de serviço (Cardozo), eis a nova coqueluche do futebol encarnado.

Quim – Jogo ingrato. Foi traído por Cardozo no golo de Diogo Gomes e não fica isento no remate de Tiero que possibilitou o 2-3.

Maxi – Cumpriu. Sem esforço.

David Luiz – Exibição muito abaixo daquilo que pode e sabe fazer.

Sidnei – A mesma passividade do colega do lado. Para jogar no Benfica terá de aumentar o seu próprio ritmo. Que falta fez Luisão.

Coentrão – Dos melhores da equipa... enquanto teve pilhas.

Javi García – O rigor do costume.

Amorim – Não deslumbra mas está sempre no sítio certo. O lance do 3-1 é prova disso mesmo.

Di María – Começou apático mas soube aparecer quando a equipa mais precisou dele. Ofereceu um golo a Weldon e outro a Amorim. Pablo Aimar – Está sem argumentos físicos para jogar ao mais alto nível. Jogo para esquecer.

Cardozo – Esteve em dúvida até à hora do jogo mas acabou por fazer parte do onze. Lesionado ou não, está lento, sem ritmo e ainda enganou Quim no golo da Académica. Saiu tarde mas aplaudido de pé.

Carlos Martins – Entrou com vontade de fazer aquilo que Aimar nunca fez. Grande remate ao poste que merecia golo (65’).

Kardec – Voluntarioso.

Ramires – Nada acrescentou ao ataque das águias.

'FALTA UM PEQUENO PASSO'

'Estamos a um pequeno passo do título, um passo decisivo, que é o mais difícil. Mas não tínhamos necessidade de sofrer tanto nos últimos minutos', disse Jorge Jesus.

Em relação ao bis de Weldon, o técnico do Benfica não se mostrou surpreendido: 'Conheço-o melhor do que ninguém. Sei as suas qualidades e porque é que o fui buscar.'

Já André Villas-Boas mostrou-se frustrado pela derrota: 'Chegámos a ser superiores, mas o Benfica resolveu individualmente.'

NOTAS

CARDOZO: TITULAR NO MUNDIAL

O seleccionador do Paraguai, Gerardo Martino, anunciou ontem a provável titularidade de Oscar Cardozo no ataque da selecção no Mundial 2010, ao lado de Nelson Valdez (Dortmund)

DI MARÍA: 'VITÓRIA IMPORTANTE'

'Não marquei, mas fiz dois passes para golo. Vencer era o mais importante', disse Di María, que comentou ainda os elogios de Maradona: 'É o melhor que pode acontecer a um jogador'

BILHETES: GUERRA DE PALAVRAS

João Gabriel, director de comunicação do Benfica, queixou-se do preço dos bilhetes. A Académica, pela voz do presidente, José Eduardo Simões, disse: 'Na nossa casa mandamos nós'

FICHA DE JOGO

LIGA – 27.ª jornada

Estádio Mun. de Coimbra – Assistência: 21 742

ACADÉMICA: Rui Nereu, Pedrinho, Berger, Luiz Nunes, Mig. Fidalgo, E. Rafael, Nuno Coelho, Wiiliam Tiero, Diogo Gomes, João Ribeiro, Vouho, Sougou, Éder

TREINADOR: ANDRÉ VILLAS BOAS

BENFICA: Quim, Maxi Pereira, David Luiz, Sidnei, Fábio Coentrão, Javi García, Ruben Amorim, Di María, Pablo Aimar,  Ramires, Weldon, Kardec, Cardozo, C. Martins

TREINADOR: JORGE JESUS

Golos: 0-1 Weldon (3’), 1-1 Diogo Gomes (29’),1-2 Weldon (42’), 1-3 Amorim (80’), 2-3 Tiero (88’)

Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco) 4

Disciplina: amarelos: Luiz Nunes (15’), Sougou (26’), Ruben Amorim (53’), Berger (74’), Diogo Gomes (81’), Javi García (84’), Maxi Pereira (90+2’)

Classificação do jogo: 7

Ver comentários