Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Miguel Oliveira foi até ao fim do MotoGP de Portugal "por respeito aos fãs portugueses"

Piloto português teve "dia muito desapontante", ao sofrer queda no Grande Prémio.
Lusa 18 de Abril de 2021 às 18:14
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
Miguel Oliveira
O piloto português Miguel Oliveira (KTM) teve este domingo um "dia muito desapontante", ao sofrer uma queda no Grande Prémio de Portugal de MotoGP, que o deixou no 16.º e último lugar, terminando "por respeito à equipa e aos portugueses".

O piloto de Almada, que saiu da 10.ª posição da grelha, não teve "um arranque muito bom", pois sentiu "dificuldades no início para parar a mota".

"Sentia o pneu dianteiro a mexer-se muito nas travagens e isso tornou ainda mais difícil ultrapassar", começou por explicar o piloto luso, em declarações difundidas pela equipa KTM.

Oliveira acabaria por cair quando a frente da sua RC16 escorregou na curva 14.

"Peguei na mota e continuei até ao fim por respeito à equipa, aos telespetadores e aos fãs portugueses. Não era este o espetáculo que queria dar. Temos de ultrapassar isto e concentrarmo-nos no futuro", concluiu Miguel Oliveira.

Em declarações aos jornalistas, na conferência de imprensa da equipa, Miguel Oliveira explicou que, devido à queda, ficou "com o lado direito da mota muito danificado", sem 'asa', nem travão traseiro.

O piloto luso sublinhou também que o arranque foi condicionado por uma falha no sistema de lançamento da partida da sua mota, "que voltou a falhar".

"O que aprendi nestes três grandes prémios é que sou rápido, estou a pilotar bem, mas preciso de mais alguma coisa. A resposta mais fácil seria entre a mota e o asfalto, mas agora temos de procurar a resposta na mota", referiu.

O piloto de Almada considera que este desfecho não vai abalar a sua confiança.

"Sei porque caí. Quando caímos e não sabemos porquê é mais difícil. Aqui foi fácil regressar à mota. Foi um procedimento normal. Quando caímos temos de nos levantar e continuar. Não irá afetar a minha confiança. Tenho uma equipa que confia em mim e me irá ajudar a retomar o caminho. Nunca senti falta de confiança esta época e não é agora que irei sentir", garantiu, confiante que "os resultados vão reaparecer".

A próxima prova será no circuito espanhol de Jerez de la Frontera, onde espera "dar a volta" a esta situação.

Após a corrida, Miguel Oliveira ficará no circuito andaluz "a fazer testes", mas ainda não deverá contar, a breve prazo, com um novo chassis para a KTM.

O português terminou o GP de Portugal a uma volta do vencedor, o francês Fabio Quartararo (Yamaha) e desceu ao 18.º lugar do campeonato, com quatro pontos.

Almada Miguel Oliveira MotoGP Portugal desporto KTM motociclismo
Ver comentários