Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Movimento Servir o Benfica evidencia falta de independência dos órgãos sociais

"O Servir o Benfica continuará a defender intransigentemente o clube, aguardando a convocatória para a reunião de assembleia-geral extraordinária que requereu"
Record 13 de Junho de 2021 às 13:55

O Movimento Servir o Benfica lamentou a renúncia de Rui Pereira do cargo de presidente da mesa da assembleia-geral e reiterou que "estes acontecimentos voltam a evidenciar que a direção do clube impede os restantes órgãos sociais de atuar com independência, comprometendo a separação de poderes que é base de todos os regimes democráticos".

"O Servir o Benfica continuará a defender intransigentemente o clube, aguardando a convocatória para a reunião de assembleia-geral extraordinária que requereu e desejando que a resposta da direção, em comunicado, à demissão do PMAG, em que desmente veementemente qualquer oposição sua à realização da reunião de assembleia-geral extraordinária", pode ler-se em comunicado.

Leia o comunicado na íntegra:

CUMPRIR OS ESTATUTOS É RESPEITAR OS SÓCIOS

Face à notícia da demissão do Exmo. Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Benfica, o Servir o Benfica vem por este meio manifestar a surpresa e preocupação com que recebeu esta informação, realçando que 24 horas antes de ter apresentado a demissão, o Exmo. Sr. Presidente da Mesa da Assembleia Geral comunicou ao Servir o Benfica a decisão de convocar a reunião de Assembleia Geral Extraordinária requerida para a data de 3 de Julho, esclarecendo ainda que não convocaria a reunião extraordinária para a data anteriormente prevista, de 26 de Junho, por incompatibilidades de calendário dos actuais Presidente e Vice-Presidente da Direcção do Sport Lisboa e Benfica.

Dado o conteúdo do comunicado do Professor Doutor Rui Pereira, a preocupação com que o Servir o Benfica recebe esta notícia acentua-se. Perante uma iminente nova infracção estatutária da responsabilidade da Direcção liderada por Luís Filipe Vieira, ao dificultar o cumprimento do dever do Presidente da MAG de convocar a reunião de AGE requerida por centenas de sócios, o Servir o Benfica só pode reiterar que lutará, na protecção do Clube, com todos os meios associativos e legais à sua disposição para garantir o estrito cumprimento dos Estatutos e da Lei no universo do SLB.

À falta de apoio do Presidente e da Direcção relatada pelo Professor Doutor Rui Pereira, em relação à sua decisão de fazer cumprir a vontade dos sócios de ver esclarecido o processo eleitoral e de aprovar um Regulamento Eleitoral para o Clube, o Servir o Benfica só pode reagir com total repúdio. Escasseiam as explicações para que estas sucessivas tentativas de impedimento ao esclarecimento do acto eleitoral, nomeadamente à contagem de votos físicos depositados em urna e à auditoria ao sistema informático, sejam movidas por boa fé e pelos superiores interesses do Sport Lisboa e Benfica.

Estes acontecimentos voltam a evidenciar que a Direcção do Clube impede os restantes Órgãos Sociais de actuar com independência, comprometendo a separação de poderes que é base de todos os regimes democráticos e, no caso das notórias interferências com a Assembleia Geral e respectiva Mesa, retirando poder ao Órgão que representa a vontade colectiva dos associados e em que, citando os Estatutos, "reside o poder supremo do Clube".

O Servir o Benfica continuará a defender intransigentemente o Clube, aguardando a convocatória para a reunião de Assembleia Geral Extraordinária que requereu e desejando que a resposta da Direcção, em comunicado, à demissão do PMAG, em que desmente veementemente qualquer oposição sua à realização da reunião de Assembleia Geral Extraordinária, não seja desmentida pela realidade em poucos dias, assegurando a todos os sócios do Clube e em particular aos sócios subscritores que utilizará todos os recursos disponíveis para assegurar a sua realização em tempo útil.

Em último lugar, o Servir o Benfica gostaria de enviar solidárias saudações Benfiquistas ao Professor Doutor Rui Pereira, que pautou o seu comportamento pela defesa do superior interesse do Sport Lisboa e Benfica, dos seus associados e do cumprimento dos Estatutos, actuando com a cortesia e elevação a que o cargo que ocupou durante os últimos 8 meses obriga.

Viva o Sport Lisboa e Benfica.

Ver comentários