Barra Cofina

Correio da Manhã

Euro 2020

"Não tenho medo nenhum da Alemanha", diz Fernando Santos confiante

Selecionador nacional recusa favoritismo e avisa que “é preciso saber como ganhar” um jogo em que “as duas equipas vão respeitar-se”.
João Moniz 19 de Junho de 2021 às 01:30
A carregar o vídeo ...
Fernando Santos: “Não tenho medo nenhum da Alemanha”
Na 1ª jornada do Europeu, Portugal venceu (3-0) a Hungria e a Alemanha perdeu (0-1) com a França. Questionado se essa conjugação de resultados torna a seleção nacional favorita para o jogo deste sábado (17h00), em Munique, Fernando Santos colocou água na fervura. "Passamos facilmente do 8 para o 80. Portugal, a partir de certo momento, passou a ser mais respeitado. Outras seleções tinham consideração por Portugal, mas acreditavam que eram mais fortes. Agora, não há nenhuma equipa no Mundo a defrontar Portugal e a achar que vai vencer facilmente. Mas passar para o lado oposto... Esta equipa da Alemanha é uma equipa fantástica, tipo rolo compressor. Não tenho medo nenhum da Alemanha, mas as equipas vão respeitar-se. Achar-se que Portugal é favorito contra a Alemanha na Alemanha é passar do limite", disse o selecionador nacional.

"Temos de ser muito fortes em todos os momentos. É um jogo muito importante para nós. Queremos ter bola e não perdê-la muitas vezes", avançou o selecionador, explicando o que espera do adversário: "A Alemanha gosta de explorar a profundidade, mas a França tirou-lhe o espaço para isso, não foi por aí que criaram oportunidades, um jogo fantástico da França. Mesmo em ataque organizado, a Alemanha surpreende os adversários na profundidade com passes do Kroos, por exemplo. O jogo é repartido entre ter bola e não ter bola ou transições. Uma arma fundamental é ter bola e obrigá-los a estar longe da baliza."

Fernando Santos comentou ainda se o ambiente adverso no estádio em Munique pode espicaçar os jogadores, como aconteceu em Budapeste. "Motivação e vontade de ganhar, tudo o que vem da alma, é muito importante. Mas é preciso saber como ganhar. Se jogarmos só com o coração não vamos lá", sentenciou o selecionador.
Ver comentários