Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Benfica trava campeão invicto em dérbi na Luz

Encarnados impuseram a primeira derrota ao Sporting. Leões estiveram a perder por 3-0, mas conseguiram equilibrar resultado.
Mário Figueiredo 16 de Maio de 2021 às 01:30
Pote (Sporting) e Pizzi (Benfica): duelo entre os melhores em campo
Com Pizzi em campo, foi Seferovic quem marcou o penálti do Benfica
Pote apressa colega Paulinho para o jogo recomeçar, após um golo
Dérbi intenso entre Benfica e Sporting na Luz
Pote (Sporting) e Pizzi (Benfica): duelo entre os melhores em campo
Com Pizzi em campo, foi Seferovic quem marcou o penálti do Benfica
Pote apressa colega Paulinho para o jogo recomeçar, após um golo
Dérbi intenso entre Benfica e Sporting na Luz
Pote (Sporting) e Pizzi (Benfica): duelo entre os melhores em campo
Com Pizzi em campo, foi Seferovic quem marcou o penálti do Benfica
Pote apressa colega Paulinho para o jogo recomeçar, após um golo
Dérbi intenso entre Benfica e Sporting na Luz
E ao 33º jogo o Sporting caiu. Tombou como campeão e... de pé, ao sair derrotado do dérbi com o Benfica na Luz por 4-3, depois de ter estado a perder por 3-0.

O Benfica entrou com um objetivo claro: Mostrar que está à altura do campeão Sporting. Num jogo aberto desde o apito inicial, os anfitriões dominaram a primeira parte. E aí Rúben Amorim teve alguma culpa quando deixou Palhinha e João Mário no banco, colocando nos seus lugares Matheus Nunes e Daniel Bragança.

E o Benfica percebeu que o caminho para o golo era pela zona central. Pizzi, com um passe a rasgar, isolou Seferovic que, à saída de Adán, lhe picou a bola por cima. Estava feito o 1-0.

O campeão, ainda a curar a ressaca da festa, demorou a entrar no jogo. Lento a reagir e com alguma falta de pulmão.

Jorge Jesus mandou carregar no acelerador e Pizzi e Everton faziam estragos nos leões. As águias trocavam bem a bola e fizeram o 2-0, numa jogada com 11 passes, uma prova da passividade leonina. Everton assistiu Pizzi que irrompeu pela zona central e fez a bola passar por cima de Adán.

O Benfica não queria apenas ganhar. Queria deixar a sua marca e impor uma pesada derrota ao campeão, até então invicto na Liga. O 3-0 obtido num cabeceamento de Lucas Veríssimo, após canto de Pizzi, fazia prever um resultado a roçar a humilhação.

O Sporting demorava a entrar no ritmo, mas nunca perdeu o brio. O brio que o conduziu ao título de campeão que fugia há 19 anos. No último suspiro da primeira metade, Pote, como é conhecido Pedro Gonçalves, reduziu para 3-1, com um remate colocado.

E a segunda parte começou como terminou a primeira: com golo, mas para o Benfica. Grimaldo sofreu falta para penálti e Seferovic converteu.

Este golo fez as águias abrandarem o ritmo. Amorim pôs Palhinha e João Mário e o Sporting cresceu para encostar o Benfica às cordas. Fez o 4-2 por Nuno Santos, após uma jogada envolvente com Pote e Paulinho a assistir para o golo.

Os leões acreditaram e Pote foi travado em falta por Lucas Veríssimo. Foi ele quem converteu o penálti, igualando Seferovic com um bis e 20 golos na lista dos melhores marcadores. Pote ainda atirou duas vezes aos ferros. Um dérbi intenso, no qual o Benfica fez o seu melhor jogo da época.

+Seferovic e Pote
Um duelo à parte dentro do jogo na luta pelo estatuto de melhor marcador da Liga. Seferovic bisou (um dos golos de penálti) e Pote não desarmou. Fez dois golos (igualmente um de penálti) e ainda atirou duas bolas aos ferros da baliza de Helton Leite.
Ver comentários