Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

Dragão vence Gil Vicente em Barcelos e encontra Sp. Braga na Taça de Portugal

Detentor do título disputa com o Sp. Braga o acesso à final da prova. Lesão de Otávio provoca preocupação.
Sérgio Pereira Cardoso e Mário Figueiredo 30 de Janeiro de 2021 às 01:30
Corona marcou o primeiro golo da noite com um gesto cheio de classe e depois saiu aos 65 minutos com queixas físicas
Corona marcou o primeiro golo da noite com um gesto cheio de classe e depois saiu aos 65 minutos com queixas físicas FOTO: MovePhoto
Corona a abrir, Taremi a fechar. O FC Porto derrotou o Gil Vicente com dois golos muito parecidos, ambos através de gesto técnico de chapéu à saída do guarda-redes. Um pica no chão a duplicar que acabou com os galos e leva o detentor da Taça de Portugal para as meias-finais da prova, frente ao Sp. Braga.

Mesmo entre ciclos competitivos de alta rotação, Sérgio Conceição não alinhou em muitas poupanças. Ainda que Marega tenha ficado de fora - nem no banco - e Sérgio Oliveira regressado da Covid-19 como suplente, continuava a ser um onze titular para ir com tudo, como se costuma dizer.
E por falar em costumes, eis os bons do FC Porto. Uma forte pressão em zona subida causou o erro adversário, Díaz e Taremi combinaram na perfeição para isolar Corona e este, cheio de calma e estilo, a picar a bola por cima de Beunardeau. Era o 0-1.

A entrada fulgurante transmitiu a ideia de uma missão simples para o FC Porto. Por isso ou não, houve uma desaceleração e as oportunidades escassearam. Uribe (30’) errou um livre por pouco e Mbemba cabeceou para defesa fácil do guardião gilista em cima do intervalo.

Na entrada do segundo tempo, Díaz demonstrou que não estava com a mira acertada e começou a crescer a esperança gilista - as mudanças de Soares permitiram-lhe equilibrar o jogo. Aos 54’, algo que já começa a ser habitual para os dragões, com um remate de Lucas Mineiro a embater no ferro. Conceição conseguiu retomar o controlo com a entrada de Sérgio Oliveira e até é ele que encontra Taremi no 0-2. Nem tudo são boas notícias: Corona saiu com queixas e Otávio lesionado. Preocupações para o que aí vem.

Análise ao jogo
Positivo: Taremi é sempre a faturar
Sete golos nos últimos sete jogos que disputou, e nem se conta o que foi atribuído a Marega no empate com o Benfica. Taremi joga, faz jogar e marca que se farta. Os mergulhos na área é que são dispensáveis.

Negativo: Problemas físicos
É a nota mais negativa para o FC Porto, além das habituais falhas na hora de atirar à baliza. Corona saiu com queixas numa perna e Otávio - que faz toda a diferença na equipa - saiu em braços, com lesão muscular.

Arbitragem: Tranquilidade à chuva
À exceção de uma jogada logo no início com Corona, em que parece não haver motivos para penálti, foram poucos os lances difíceis para Rui Costa, que, contudo, perdoou alguns cartões a ambas as equipas quando utilizaram as chamadas faltas táticas.

Análise dos jogadores: Um mágico chamado Corona
Corona - Tecatito, como é conhecido, fez um primeiro golo num lance mágico. Um chapéu de gala que abriu as portas das meias-finais da Taça.
Diogo Costa – Atento, mas nunca foi posto verdadeiramente à prova. Correspondeu à altura dos desafios.
Manafá – Deu profundidade ao seu flanco, mas faltaram os cruzamentos.
Mbemba – Seguro a defender. Um cabeceamento perigoso, mas que morreu nas mãos do guardião.
Pepe – Firme e hirto. É a voz de comando da defesa.
Zaidu – Alguns cruzamentos tímidos para a área.
Grujic – Esforçado para agarrar um lugar na equipa. Trouxe dinâmicas ao miolo.
Uribe – Um livre perigoso a rasar o poste. Esforçado e sempre com grande qualidade de passe.
Otávio –Mexido e desequilibrador. Imprime velocidade ao jogo portista. Saiu lesionado e com ar preocupado.
Luís Díaz – Agitador e perigoso. Assistiu Corona no golo. Procurou o golo e até teve oportunidades, mas estava com a mira desafinada.
Taremi – Um trabalhador discreto. Por vezes, esteve muito só na frente. Mas, mesmo assim, picou o ponto, com um chapéu para o 2-0.
Sérgio Oliveira – Refrescou o meio-campo. Trouxe experiência e consistência numa altura que os gilistas cresceram. Assistiu Taremi no 2-0.
Fábio Vieira – Entrou para o lugar do lesionado Otávio.
Felipe Anderson – Sem tempo para fazer a diferença.
Ver comentários