Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Dragões vencem Nacional e perseguem Sporting no segundo lugar

Num jogo em que quase não criou situações de perigo, FC Porto marca após erro do guarda-redes dos insulares.
Mário Pereira 19 de Abril de 2021 às 01:30
Taremi fez desta forma o único golo do jogo
Taremi fez desta forma o único golo do jogo FOTO: Hélder Santos
Um triunfo mínimo na Madeira, frente ao último classificado da Liga, garantiu este domingo ao FC Porto a conquista de mais três pontos. Precioso pecúlio num momento chave da época, que permite à formação que veste de azul-e -branco manter a distância de seis pontos para o líder Sporting na luta pelo título. Isto enquanto se distancia do Benfica, que está igualmente a meia dúzia de pontos, mas para baixo.

O FC Porto foi feliz, num jogo que teve dois momentos marcantes. O primeiro deles aconteceu logo aos seis minutos. Em lance de contra-ataque rápido, João Camacho foi derrubado por Zaidu no interior da área do FC Porto. Penálti evidente que o árbitro João Pinheiro assinalou. Mas que Éber Bessa desperdiçou, com um remate muito denunciado que permitiu a defesa a Marchesín. O Nacional, que chegava a este jogo com um registo acumulado de oito derrotas de forma consecutiva, deitava assim pela borda fora a possibilidade de se empolgar animicamente enquanto coletivo.

O segundo momento marcante aconteceu aos 21 minutos. Num lance que parecia controlado, o guarda-redes António Filipe permitiu a aproximação de Taremi, que com a ponta do pé intercetou a bola. Esta sobrou para Corona, que rapidamente aproveitou o desequilíbrio da defesa do Nacional para servir Taremi. Perante o brinde, o iraniano atirou para o fundo da baliza. Sem nada ter construído até então, o FC Porto chegava à vantagem.

Após o golo, nada se alterou no figurino do jogo. A equipa de Sérgio Conceição, a jogar num registo muito baixo, revelava enormes dificuldades em ligar o seu futebol, de forma a criar situações de perigo, que pura e simplesmente não existiam. Só mesmo nos descontos antes do intervalo chegou junto da baliza do Nacional com algum sentido.

No segundo tempo, tudo piorou para o FC Porto, porque o Nacional se esticou um pouco mais. E também porque a equipa portista revelou fadiga física, algo que nem o meio-campo musculado formado por Grujic, Sérgio Oliveira e Uribe conseguia esconder. Junto à linha, Conceição exasperou por diversas vezes, berrando para dentro do campo. Alguns jogadores terão ficado com as orelhas a arder. Ainda assim, o tempo correu a favor de um FC Porto que fez o mínimo para ganhar e foi premiado.

Ver comentários