Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
6

FC Porto e Sp. Braga com fé na Liga Europa

FC Porto e Sp. Braga vão enfrentar Lyon e Mónaco, respetivamente. Ambos evitam outros adversários mais fortes.
João Moniz 26 de Fevereiro de 2022 às 01:30
Giorgio Marchetti, secretário-geral da UEFA (à esq.), foi o responsável pelo sorteio realizado ontem e contou com a ajuda de Andrés Palop, ex-guarda-redes do Sevilha, clube da cidade que recebe a final
Stade de France, em Saint-Denis, recebe a final da Champions
Giorgio Marchetti, secretário-geral da UEFA (à esq.), foi o responsável pelo sorteio realizado ontem e contou com a ajuda de Andrés Palop, ex-guarda-redes do Sevilha, clube da cidade que recebe a final
Stade de France, em Saint-Denis, recebe a final da Champions
Giorgio Marchetti, secretário-geral da UEFA (à esq.), foi o responsável pelo sorteio realizado ontem e contou com a ajuda de Andrés Palop, ex-guarda-redes do Sevilha, clube da cidade que recebe a final
Stade de France, em Saint-Denis, recebe a final da Champions
O sorteio dos oitavos de final da Liga Europa realizado esta sexta-feira permite às duas equipas portuguesas sonharem com a passagem à ronda seguinte. O FC Porto vai defrontar o Lyon, enquanto o Sp. Braga mede forças com o Mónaco. Ambos evitam os dois cabeças de série que podiam ser considerados mais fortes: o West Ham (6º classificado na Liga inglesa que está a lutar com Man. United e Arsenal pela última vaga de acesso à Champions da próxima época) e o Leverkusen (3º classificado da Liga alemã, atrás dos gigantes Bayern e Dortmund).

Face à nova organização da Liga Europa, em que os cabeças de série no sorteio para os ‘oitavos’ eram as equipas vencedoras dos oito grupos na 1ª fase da competição, FC Porto e Sp. Braga já sabiam que iam evitar alguns colossos que caíram da Liga dos Campeões. É o caso de Barcelona e Sevilha, sobretudo, mas também Leipzig e Atalanta, clubes que nas últimas épocas têm tido bons desempenhos nas provas europeias.

Lyon e Mónaco estão longe de ser adversários fáceis - Estrela Vermelha, Galatasaray e Spartak Moscovo seriam claramente mais acessíveis -, mas são equipas ao alcance de um FC Porto e de um Sp. Braga ao seu melhor nível. Inclusive, gauleses (22º) e monegascos (62º) até estão pior colocados no ranking da UEFA do que dragões (16º) e minhotos (39º).

Curiosamente, Lyon e Mónaco têm os mesmos pontos (38) na Liga francesa, fruto de desempenhos aquém do esperado no arranque da temporada: ambos ambicionavam lutar por uma vaga na Champions da próxima época, mas já estão a sete pontos de distância do 3º lugar, que dá acesso às pré-eliminatórias.

Lyon de boa memória para os dragões
O FC Porto tem clara vantagem no confronto direto com o Lyon. Os dragões eliminaram os franceses nos ‘quartos’ da Liga dos Campeões que conquistaram em 2003/04.

UEFA retira a totalidade dos seus jogos do território russo
A UEFA decidiu esta sexta-feira que nenhum jogo das provas que organiza se irá disputar em território russo até decisão em contrário. A tomada de posição do Comité Executivo surge na sequência da invasão da Ucrânia. A medida afeta, ao nível de clubes, apenas o Spartak Moscovo, que terá de receber o Leipzig a 17 de março em campo neutro ainda por designar. Também as seleções russa e ucraniana terão de jogar em casa emprestada o play-off de acesso ao Mundial 2022. Por último, a final da Champions desta época, prevista para São Petersburgo, irá realizar-se no Stade de France, em Saint-Denis (arredores de Paris).

PORMENORES
FC Porto joga mais cedo
O FC Porto joga a 1ª mão dos ‘oitavos’ numa quarta-feira (9 de março) no Dragão. Como o Sp. Braga recebe em casa o Mónaco na quinta, face à proximidade geográfica, a UEFA antecipou o jogo dos portistas um dia.

Jornadas da Liga
Agora que é conhecido o calendário de FC Porto e Sp. Braga, a Liga de Clubes deverá anunciar em breve as datas dos jogos da 26ª e 27ª jornadas.

Ranking de países
Portugal (6º) pode aproveitar os ‘oitavos’ para reduzir a diferença para França (5º) no ranking de países da UEFA. Os gauleses contam com os seus seis representantes, quando o nosso país já só tem quatro.

Lyon: Fragilidades a defender
O Lyon está nos oitavos de final da Liga Europa depois de uma prestação que roçou a perfeição na fase de grupos: cinco vitórias e um empate em seis jogos. Com 16 golos marcados, os franceses tiveram o ataque mais goleador.

É precisamente do meio-campo para a frente que reside o ponto forte da equipa treinada por Peter Bosz. Sob a batuta de Lucas Paquetá, a equipa conta ainda no último terço com os talentosos Ndombélé, Dembélé e Toko-Ekambi.

O problema está na retaguarda. O internacional português Anthony Lopes vai disfarçando na baliza as fragilidades defensivas dos gauleses, mas não ao ponto de evitar que o Lyon tenha uma das piores defesas da primeira metade da tabela da Liga francesa.

Essa é a principal razão para o desempenho aquém do esperado no campeonato. Com um plantel milionário, o clube está longe de se aproximar dos tempos áureos do início do século, quando foi heptacampeão.

Mónaco: Investimento sem retorno
Avaliado em 352,2 milhões de euros, o plantel do Mónaco vale praticamente três vezes e meia mais do que o do Sp. Braga (103,8 milhões de euros). Contudo, o investimento milionário não teve qualquer retorno desportivo nas últimas quatro épocas e meia. O último troféu conquistado pela equipa do principado foi em 2016/17, quando Leonardo Jardim venceu a Liga francesa.

O magnata russo Dmitry Rybolovlev tem dado mais que falar pelos negócios suspeitos à volta do futebol - muitas vezes com Jorge Mendes envolvido, em transações inclusive investigadas pelas autoridades portuguesas - do que pelo rendimento da equipa no relvado.

Nos últimos anos, o Mónaco tornou-se mais vendedor do que comprador, mas ainda conta com jogadores talentosos, como o internacional francês Ben Yedder ou o alemão Volland. Basta referir que, recentemente, o português Gelson Martins até perdeu o lugar na equipa titular.
Ver comentários
}