Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Fernando Santos garante braçadeira a Cristiano Ronaldo

Selecionador diz que custa ter um golo “limpinho” não validado, mas afasta efeitos psicológicos nos jogadores.
João Moniz 30 de Março de 2021 às 08:46
A carregar o vídeo ...
Fernando Santos garante braçadeira a Cristiano Ronaldo
"O Cristiano [Ronaldo] vai ser sempre o capitão. É um exemplo nacional. Todos os jogadores dizem que ele é um exemplo. De trabalho, de treino, na forma como recebe... um exemplo social. Se o Cristiano tivesse ofendido o selecionador, os colegas ou a Federação, aí sim, teríamos de pensar. Mas não aconteceu nada disso", afirmou esta segunda-feira Fernando Santos.

A conferência de antevisão do selecionador ao jogo de hoje em casa do Luxemburgo ficou marcada pelo golo limpo - a bola passou claramente a linha de baliza - não validado frente à Sérvia, que impediu a vitória de Portugal - o jogo acabou empatado 2-2 - e levou CR7 a atirar a braçadeira de capitão ao chão. "Aconteceu um momento de grande frustração. Poderia ter sido a mim, pelo que disse ao 4º árbitro podia ter sido expulso. É um momento de grande frustração para alguém que quer ganhar sempre, que dá tudo pela Seleção. De repente, vê a bola dentro da baliza e vê que não é golo... Se foi muito interessante? Não foi. Mas ele percebeu e fez uma publicação nas redes sociais dez minutos depois. Ninguém vai dizer que foi um gesto bonito, mas daí a pôr em causa se o Cristiano vai ser o capitão... Vai ser de certeza. Em toda a minha carreira, só deixei de contar com um jogador. Foi substituído e atirou a camisola ao chão. Isso é uma falta de respeito e deixei de contar com ele. Não foi o que aconteceu agora", vincou Fernando Santos.

"Eu nem vi nada do último minuto do jogo por estar a discutir com o quarto árbitro a dizer que tinha sido golo. É um ambiente de frustração, claro. Quando vens para um jogo com convicção de ganhar os três pontos e acontece um golo limpinho, clarinho e ele te é... nem vou dizer a palavra, é normal que haja frustração. Já é a segunda vez que isto nos acontece", enfatizou o selecionador, afastando qualquer consequência no rendimento frente ao Luxemburgo: "São jogadores de altíssimo nível. Sabem que a concentração tem de estar no máximo. Não é preciso fazer ‘reset’ a nada, é necessário manter a vontade e o querer. Se equilibrarmos esses padrões, a nossa qualidade acabará por fazer a diferença".

Quanto à possibilidade de fazer mudanças na equipa, Santos não abriu o jogo: "Os jogadores já vêm com muitos minutos nas pernas, têm de jogar de 70 em 70 horas, sujeitos a esforço intensivo. Nem todos recuperam da mesma maneira e apresentaremos o melhor onze". E João Moutinho, que falhou o último jogo devido a lesão, pode jogar? "As indicações são boas. Estará bem, pelo menos, para ir para o banco", diz o selecionador.

CR7 deve evitar castigo
Cristiano Ronaldo deve evitar qualquer castigo por ter atirado a braçadeira de capitão ao chão depois do golo que marcou frente à Sérvia não ter sido validado. Ao que o CM apurou, é improvável que a UEFA mova um processo disciplinar ao craque português, pois o próprio árbitro observou o lance e decidiu não penalizá-lo.

Danny Makkelie, que instantes antes mostrara o cartão amarelo a CR7 por protestar junto do árbitro assistente, poderia ter mostrado o 2º amarelo a CR7 por comportamento antidesportivo, mas não o fez. Além disso, sabe o CM, não terá mencionado o episódio no relatório.

Assim, a UEFA não deverá considerar que Ronaldo violou o artigo 11 do Código Disciplinar da FIFA ("conduta ofensiva ou violação dos princípios do jogo limpo"), como sugerido pela imprensa espanhola. Até porque a UEFA não quer prolongar um caso em que foi criticada pela inexistência de VAR.
Ver comentários