Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Goleada frente à República Checa embala Portugal na Liga das Nações

Equipa de Fernando Santos só precisa de um empate com a Espanha na terça-feira, em Braga, para estar na final four.
Filipe António Ferreira e Luís Oliveira 25 de Setembro de 2022 às 01:30
Diogo Dalot, autor de dois golos, esteve em plano de destaque
Diogo Dalot, autor de dois golos, esteve em plano de destaque FOTO: Lusa
Segura, tranquila e com Diogo Dalot em grande plano. Assim foi a exibição de Portugal na República Checa, que garantiu a liderança do Grupo A da Liga das Nações. A seleção nacional mostrou estar preparada para a decisão com a Espanha, que este sábado perdeu em casa com a Suíça. Na terça-feira, o empate basta para garantir a final four.

Sem grandes novidades em termos táticos, Fernando Santos apostou num duplo pivô defensivo (Rúben Neves e William), com Bruno Fernandes mais avançado a formar o triângulo no meio-campo

Se nos primeiros instantes a República Checa até surpreendeu com algumas boas iniciativas, a partir dos 20 minutos Portugal passou a dominar com uma mudança simples de posicionamento entre Bernardo e Bruno Fernandes.

O golo surgiu já depois da meia hora de jogo, com Dalot a concluir uma jogada que ele próprio iniciou. Carregou Portugal, que chegou ao 2-0 numa boa jogada coletiva concluída por Bruno Fernandes. Logo a seguir, um lance pouco visto, com Ronaldo a fazer penálti (mão na bola). Schick acabaria por desperdiçar e atirar por cima.

No segundo tempo e praticamente a abrir, Portugal matou o o jogo com um golaço de Dalot, num remate colocado de pé esquerdo. Perto do fim, Diogo Jota marcou após desvio de cabeça de CR7.

Portugal saiu da República Checa com uma boa exibição. Beneficiou do desaire da Espanha e agora vai ter a possibilidade de voltar a estar na final four de uma prova que já conquistou. Para isso basta uma vitória ou um empate, terça-feira, em Braga.

Árbitro italiano no jogo com a Espanha
O derradeiro jogo de Portugal no Grupo A2 da Liga das Nações realiza-se na próxima terça-feira (19h45) no Estádio Municipal de Braga, com a Espanha. O árbitro nomeado para esse encontro é o italiano Daniele Orsato.

"Jogo com a Espanha vai ser decisivo"
"Depois disto não muda nada. O jogo com Espanha vai ser decisivo. O único resultado negativo que tivemos foi com a Suíça, no qual sofremos no primeiro minuto e depois desperdiçámos muitas oportunidades", disse Fernando Santos. O selecionador nacional esclareceu depois a entrada de João Mário para o lugar de Danilo: "Já pedi desculpa ao Djaló porque era ele que deveria ter entrado. Tenho absoluta confiança no Djaló. No momento em que o João Mário estava para entrar, o Danilo queixou-se e eu disse-lhe ‘vem o Palhinha para trás e tu vais para a direita’.

Análise ao jogo
Positivo: Cancelo que se cuide
Que jogaço de Diogo Dalot. Dois golos (um deles de grande recorte técnico) mostram que o lateral do Manchester United está num grande momento. Dúvida boa para Fernando Santos resolver no jogo com a Espanha. Dalot ou Cancelo?

Negativo: Relvado e defesa macia
O relvado não ajudou muito a seleção nacional no início do encontro. Mas depois da adaptação, Portugal arrancou para uma exibição convincente, sem forçar muito e perante uma defesa checa demasiado macia para travar os atacantes lusos.

Arbitragem: Bem no penálti de CR7
No lance mais polémico do encontro, o árbitro sérvio foi alertado pelo VAR para uma mão de Cristiano Ronaldo na área. Foi ver as imagens e assinalou (bem) o castigo máximo que Schick desperdiçou. Ficha limpa no plano disciplinar.

Análise aos jogadores
Diogo Dalot - O lateral-direito estreou-se a marcar pela Seleção e logo com dois golos, ambos de belo efeito. Além disso foi protagonista de várias outras jogadas. A direita com ele e Cancelo está garantida.
Diogo Costa – Jogo com pouco trabalho. Fez apenas uma defesa. Ganha confiança.
Rúben Dias – Ganhou todos os duelos pelo ar e chão ao seu estilo. Com ele não há moleza.
Danilo – Cumpre a defender como central, mas a construir passa apenas para o lado.
Mário Rui – Boa exibição do lateral-esquerdo, que assistiu para o 2-0. Fez vários centros.
William Carvalho – Muito boa primeira parte a pautar o jogo ao meio-campo.
Rúben Neves – Bom complemento de Carvalho, tentou várias vezes o forte remate.
Bruno Fernandes – Este é aquele Bruno sempre ligado ao jogo e às jogadas. Fez o 2-0.
Bernardo Silva – Dinâmico com a bola no pé esquerdo. Protagonizou boas jogadas.
Cristiano Ronaldo – Jogo 190 ao serviço da Seleção. Longe do que já fez, assistiu de cabeça para o 4-0 de Jota.
Rafael Leão – Começou bem o jogo a dar profundidade à esquerda. Depois eclipsou-se.
Diogo Jota – Marcou o quarto golo aparecendo isolado a empurrar de cabeça.
Ricardo Horta – Um ou outro bom pormenor, só.
Palhinha – Para segurar o resultado, no meio e à defesa.
Matheus Nunes – Não efetuou nada de especial.
João Mário – Somou mais uma internacionalização.
Ver comentários