Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Golo invalidado ao Famalicão garante vitória ao FC Porto

Minhotos reagiram, mas 2-2 foi anulado pelo VAR. Sérgio Conceição explodiu com Zaidu e... Luís Gonçalves.
Sérgio Pereira Cardoso e Filipe António Ferreira 16 de Agosto de 2021 às 01:30
Toni Martínez marcou por duas vezes frente à antiga equipa e optou por não festejar os golos
Toni Martínez marcou por duas vezes frente à antiga equipa e optou por não festejar os golos FOTO: MovePhoto
Foi por 21 centímetros que o FC Porto conseguiu escapar a um tombo na segunda jornada, em Famalicão. A equipa da casa empatou na reta final, mas o golo seria anulado por fora de jogo - só que Sérgio Conceição já não foi a tempo de anular a reação, em fúria, contra Luís Gonçalves, após o erro de Zaidu no início da jogada.

E essa fratura exposta acaba por marcar um encontro que parecia completamente controlado pelos dragões. Muito por culpa de um ex-famalicense. Toni Martínez voltou a ser decisivo, com dois golos - a contar com a temporada passada, são cinco jornadas sempre a faturar do avançado espanhol.

Tudo começou aos 13 minutos. Mehdi Taremi recuperou a bola ainda no meio-campo e fez um passe digno de um número 10, a isolar Toni - o jovem de 24 anos ultrapassou o guarda-redes adversário e atirou a contar, apesar de um último esforço de Riccieli junto à linha de golo.

Excelente entrada em campo dos homens de Conceição, que desta vez escolheu Manafá para a malfadada lateral esquerda - e já lá voltaremos - e Uribe no lugar de Sérgio Oliveira no miolo. E foi pelo miolo que se construiu o segundo tento, já perto do intervalo. Bruno Costa encontra Otávio entre linhas e o médio brasileiro é rápido a respeitar outro movimento similar de Toni Martínez - remate de primeira do espanhol para um bis que parecia estender a passadeira para a tranquilidade.

Pura ilusão. Aos 56’, e após um canto que surge de uma desatenção portista, Diogo Figueiras cruza tenso para a área e Riccieli ganha entre Pepe e Mbemba, cabeceando para um 2-1 que lançou a dúvida no resultado.
E lançou dúvidas na estratégia de Sérgio Conceição. Voltou a retirar Manafá e a optar por Zaidu no lado esquerdo, entrando também Francisco Conceição. O FC Porto deu então a ideia de estar mais preocupado em esconder a bola e deixar o tempo correr - há apenas um remate de Taremi aos 79 minutos.

Em cima do apito final, Zaidu perde a bola num péssimo passe e, no contra-ataque, o Famalicão marca por Bruno Rodrigues. Conceição, visivelmente furioso, apontou o dedo a Luís Gonçalves, administrador da SAD e homem-forte do futebol - zangaram-se as comadres antes das ‘vardades’. O VAR anulou o golo, mas não a cólera do técnico dos dragões: é urgente um lateral-esquerdo.

Dragão ‘abafa’ conflito
Depois de o Famalicão fazer o 2-2, golo que seria anulado por fora de jogo, Sérgio Conceição confrontou Luís Gonçalves, administrador da SAD que também é diretor desportivo, com ar furioso e de dedo em riste. Após o jogo, o CM e a CMTV quiseram ouvir a explicação do técnico para o conflito. Mas a pergunta, enviada para o jornalista responsável pelas questões da imprensa, não foi feita. O que Conceição deixou claro foi a sua insatisfação com Zaidu e os "erros individuais infantis que não se podem fazer a este nível".

Análise ao jogo
Positivo: Toni com Fama de matador
Martínez segue a marcar, desta vez por duas vezes, frente à antiga equipa. Pediu até desculpa e não festejou, mas tinha razões para isso - desde a temporada passada, são já cinco jornadas sempre a faturar. Está a ganhar fama de ‘Tonigol’.

Negativo: Lateral é fratura exposta
Sérgio Conceição já o tinha deixado implícito e este domingo foi até demasiado explícito. Depois de optar por Manafá, colocou Zaidu, que abriu caminho ao 2-2 depois anulado. O dedo em riste para Luís Gonçalves expôs a fratura: quer um lateral e rápido.

Arbitragem: Queixas de um penálti
Não é um lance de fácil análise. Diogo Costa sai da baliza e choca com um avançado famalicense, que parece pouco inocente ao colocar-se naquele espaço à saída do guardião. O certo é que o contacto existe. VAR corrigiu 2-2 em fora de jogo.

Análise aos jogadores
Toni Martínez - Depois de dois remates fracassados, afinou a mira e bisou. Saiu desgastado depois de 71 minutos de muito trabalho. Está em grande momento. Alguém se lembra de Marega?
Diogo Costa – Pouco trabalho numa tarde de muito calor. Sem hipóteses no 1-2.
João Mário – Não desceu tanto pelo seu flanco como no primeiro jogo. Ainda assim, exibição competente.
Mbemba – Ficou nas covas no cabeceamento vitorioso de Riccieli.
Pepe – Quase sempre no sítio certo. Na única falha de posicionamento, o Famalicão marcou.
Manafá – Estreia a titular esta época com pouco brilho e desacerto. Um passe de risco que podia ter comprometido.
Uribe – Enorme disponibilidade física. Tentou marcar de meia distância.
Bruno Costa – Ganhou o lugar a Sérgio Oliveira. Deu início ao lance do 2-0.
Otávio – Sempre no seu estilo brigão. Uma assistência perfeita para o bis de Toni Martínez.
Luis Díaz – Pouco em jogo.
Taremi – Não marcou, mas foi decisivo no plano das assistências. Passe perfeito para o primeiro do FC Porto. Boa chance no segundo tempo.
Francisco Conceição – Veio agitar, mas ainda assim com pouca objetividade.
Zaidu – Passe displicente que podia ter custado caro.
Sérgio Oliveira – Um remate e pouco mais.
Evanilson – Sem tempo.
Ver comentários