Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

Leão regressa às vitórias com golo de Pote

Pedro Gonçalves marcou o golo que deu o regresso às vitórias ao Sporting. Farense queixa-se de um penálti antes do intervalo.
Sérgio Pereira Cardoso e Filipe António Ferreira 17 de Abril de 2021 às 01:30
Pote procura libertar-se da marcação de Amine
Pote procura libertar-se da marcação de Amine FOTO: Ricardo Nascimento
Um golo de Pote foi o suficiente para o Sporting regressar às vitórias no campeonato, depois de dois empates que permitiram aos rivais aproximarem-se do topo da tabela. O líder respira melhor a sete jornadas do fim, depois de um jogo com polémica e em que apanhou um par de sustos resolvidos por Adán.

Castigado e remetido à bancada, Rúben Amorim apresentou como novidades no onze Gonçalo Inácio, Matheus Reis e Daniel Bragança. Não se intimidou o Farense de Jorge Costa, que entrou com a pressão no máximo para testar a eventual intranquilidade do líder.

E a verdade é que, até perto da meia hora, foram apenas duas as aproximações perigosas dos homens de Alvalade à baliza algarvia. Ambas com coisas em comum: Pedro Gonçalves a começar as jogadas de trivela e João Mário a finalizar. Aos 9’, Beto defendeu. Aos 27’, o médio sportinguista atirou ao lado.

Mesmo com o encontro longe de estar controlado, o ainda não candidato ao título era quem mais criava no momento ofensivo. Até de bola parada. Um primeiro canto de Nuno Mendes teve a resposta merecida de Coates, só que Beto mostrou que os 38 anos apenas contam para documentos pessoais. O canto subsequente até parecia mais inócuo, só que a bola voltou à área e ficou à mercê de Pedro Gonçalves. Pote disparou um tiro que só parou no placard com o desejado 1-0.

Antes do intervalo, porém, Nuno Mendes estragou a pintura e fez falta para penálti sobre Tomás Tavares. Hugo Miguel ilibou o lateral e o VAR também não interveio. Tudo para o descanso dos balneários.

Até porque a emoção rapidamente voltaria. Mancha (47’) testou a atenção de Adán e, logo a seguir, Paulinho decidiu ignorar a baliza depois de um passe de Pote. Tentou assistir João Mário e o lance perdeu-se.

Golpe e contragolpe. O Farense teve o empate nos pés de Pedro Henrique, mas esbarrou novamente em António Adán (53’). Paulinho podia ter arrumado com as dúvidas (57’), mas conseguiu acertar em Beto.

O relógio continuou a correr e assim se entrou na reta final com o resultado em aberto. O Sporting acusou, recuou e o Farense até marcou - lance anulado por fora de jogo. Aos 84’, Adán vestiu o papel de súper herói e voou para uma fantástica defesa que segurou os três pontos - o mais importante para os leões de Alvalade.

análise
+Quem pode, Pote Sem faro de golo Penálti por assinalar
Pedro Gonçalves voltou a ser decisivo com o 17º golo no campeonato, que lhe devolveu a liderança dos melhores marcadores. Adán segurou ao máximo a vantagem mínima. Grande exibição do guardião espanhol - tal como de Beto no lado algarvio.

-Sem faro de golo
Se é certo que os guardiões estiveram em grande, nota para a falta de faro de golo no jogo desta sexta-feira, com destaque para Paulinho, avançado do Sporting, que teve oportunidades de ouro. Numa delas, tentou assistir um colega e a bola foi para fora.

Arbitragem: Penálti por assinalar
Há um penálti por falta de Nuno Mendes sobre Tomás Tavares em cima do intervalo naquele que foi o maior de vários erros de Hugo Miguel, que até fisicamente parece estar longe do seu melhor. Devia ter dado mais do que 3 minutos de descontos.

Um adepto detido e outro ferido
Um adepto detido, por posse de material pirotécnico, e um ferido é o balanço da confusão que se gerou esta sexta-feira na chegada do autocarro do Sporting ao Estádio São Luís, em Faro. A Polícia de Segurança Pública teve de controlar os cerca de 500 adeptos que estavam nas imediações do campo do Farense, lançando alguns deles tochas e fumos. Um dos apoiantes leoninos acabou por ser conduzido ao hospital.

A PSP teve de reforçar o contingente no local para evitar mais problemas e também para dispersar os adeptos, que não respeitavam a distância de segurança obrigatória. Já na quinta-feira, a chegada e a viagem da comitiva leonina ao Algarve foi marcada pelo forte apoio, com tarjas colocadas em diversos viadutos. Também o autocarro do Farense foi fortemente apoiado na chegada ao estádio e durante a viagem, acompanhado por membros do Moto Clube de Faro.

dérbi na luz com benfica a 15 de maio
O Benfica-Sporting, da 33ª jornada do campeonato, está agendado para 15 de maio, às 18h00. A Liga revelou esta sexta-feira os horários de todos os jogos entre a 29ª e a 33ª rondas. O outro clássico que poderá ser decisivo para a definição do título, entre Benfica e FC Porto, disputa-se a 6 de maio, também na Luz, a partir das 18h30.

muralha Espanhola rende pontos

adán: Fez duas defesas assombrosas e outras duas que não contaram por fora de jogo do Farense. O espanhol foi decisivo. Não marcou mas rendeu pontos ao Sporting .

Gonçalo Inácio – Pronto socorro de Porro no primeiro tempo. Mostrou insegurança após o intervalo.

Coates – A muralha defensiva leonina foi mantida muito por sua culpa. Uma cabeçada com selo de golo, mas Beto respondeu à letra.

Matheus Reis – Competente, mas a falta de rotinas obrigou-o a fazer muitas faltas.

Porro – Continua a anos luz do jogador que já foi.

Nuno Mendes – Imprudente no lance que Tomás Tavares ficou a pedir penálti. Boa arrancada aos 67’. Competente.

João Palhinha – Trabalho importante, mas menos influente do que o habitual.

Daniel Bragança – Tentou ser o fio condutor do jogo ofensivo leonino.

João Mário – Um dos mais mexidos e o mais perigoso no primeiro tempo. A jogar em posições mais avançadas, teve duas boas chances.

Pedro Gonçalves – Mais um golo que o deixa isolado na lista de melhores marcadores. Trabalhou muito. Decisivo

Paulinho – Pouco em jogo. Ainda assim importante ao ganhar de cabeça a bola que Pote rematou para o 1-0. Um remate à figura. Pouco.

Matheus Nunes – Não entrou bem.

Nuno Santos – Sem bola.

Tiago Tomás – Lutou.
Ver comentários