Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
4

Martínez resuscita Dragão e garante vitória frente ao Santa Clara no último minuto

FC Porto conseguiu chegar à vitória já nos descontos pelo espanhol que tinha entrado há pouco.
Filipe António Ferreira e Luís Oliveira 4 de Abril de 2021 às 01:30
Toni Martínez marcou assim o golo que deu a vitória ao FC Porto
Toni Martínez marcou assim o golo que deu a vitória ao FC Porto FOTO: MovePhoto
Foi nos descontos que o FC Porto conseguiu este sábado um difícil triunfo em casa, frente ao Santa Clara. Toni Martínez foi o herói do encontro com um golo que dá motivação extra para o importante jogo de quarta-feira com o Chelsea, na primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões.

Sérgio Conceição optou por mexer no onze habitual a pensar no embate com o ingleses, mas também pela carga que alguns jogadores tiveram nas seleções. Corona foi um dos que começou no banco de suplentes. A ausência do mexicano foi a mais notada na fraca primeira portista no Dragão. De um lado a apatia e pouca objetividade do FC Porto, contra a boa organização defensiva e atrevimento atacante dos açorianos.

A equipa de Sérgio Conceição foi quase sempre mais dominante, mas isso pouco ou nada se traduziu em lances de perigo para a baliza de Marco. Apenas um remate enquadrado com a baliza foi o cartão de visita azul-e-branco diante do Santa Clara que até marcou (golo anulado por fora de jogo) e que teve nas bolas aéreas ofensivas o seu grande trunfo para enervar Marchesín e a defesa portistas.

O jogo acabou por ir para o intervalo com o nulo justo.

Não mudou logo a abrir, Sérgio Conceição, e também não foi preciso. Um penálti sobre Taremi, aos 49’, permitiu a Sérgio Oliveira colocar o FC Porto em vantagem.

A resposta foi imediata do Santa Clara, também num castigo máximo chegou ao empate. O jogo estava repartido, mas com sinal mais do FC Porto. Neste período Taremi perdeu um golo fácil quando estava sem oposição.

Depois, Corona e Fábio Viera foram chamados ao jogo. O mexicano foi colocado a fazer todo o corredor direito e os dragões não ganharam muito com isso logo de imediato. Já a entrada do internacional sub-21 ajudou a equipa e pressionar ainda mais o Santa Clara que foi sempre se defendendo com qualidade. Conceição voltou a refrescar o ataque e no último suspiro, as mudanças acabaram por surtir. Corona, agora na esquerda, teve um cruzamento perfeito para a cabeçada imparável de Toni Martínez que tinha entrado há pouco.

Com esta vitória o FC Porto reduz para sete os pontos para o líder Sporting, que só joga amanhã, com o Moreirense. Agora, baterias apontadas para Champions, onde o Dragão quer continuar a brilhar.


Análise ao jogo
Positivo: Futebol positivo
O Santa Clara está numa posição tranquila na Liga e isso vê-se em campo. Se o jogo terminasse empatado não seria um escândalo. A equipa de Daniel Ramos joga um futebol positivo, sem chutão para a frente e sempre com os olhos na baliza adversária.

Negativo: Marega e Taremi
O maliano Marega está claramente com falta de confiança. Não marca há um mês (Taça de Portugal), mas para a Liga não faz a festa há quase três meses. Taremi arrancou o penálti do 1-0, mas perdeu chances flagrantes. Valeu Toni Martínez.

Arbitragem: Penálti de Marchesín
Bem ao anular o golo do Santa Clara por fora de jogo. A abrir o 2º tempo, bem ao assinalar penálti de Marco sobre Taremi. Já no penálti açoriano, Diogo Leite fez falta, mas antes, Marchesín também. Dúvidas numa mão na área do Santa Clara de Nené.

Análise aos jogadores
Toni Martínez - Foi o jogador que conseguiu resolver um problema que poderia ter custado dois pontos. Decidiu o jogo com um fantástico cabeceamento, o segundo golo ao serviço dos dragões.
Marchesín – Algumas falhas nada normais para o estatuto e a categoria que tem. Sem hipótese no penálti.
Nanu – Pouco interventivo, foi o primeiro a sair.
Pepe – Revelou alguma falta de ritmo, mas foi o habitual líder, com uma falha aqui e ali.
Diogo Leite – Alguns bons cortes. Cometeu o penálti.
Manafá – Adaptado à esquerda não deu ao flanco a profundidade desejada.
Uribe – Muito trabalho no meio-campo mas pouco ousado na parte atacante.
Sérgio Oliveira – Marcou o penálti da ordem e foi dos mais inconformados com o desenrolar da partida.
Otávio – Isolou Taremi na jogada do penálti mas também foi contaminado com a falta de inspiração coletiva.
Luis Díaz – Sem os rasgos que o evidenciam. Jogo fraco.
Marega – Mais um jogo mal conseguido. Algumas arrancadas infrutíferas.
Taremi – Sofreu falta para penálti e falhou no momento de colocar a bola na baliza.
Corona – Arma secreta de Conceição, fez o centro para o golo da vitória.
Fábio Vieira – Entrou para dar qualidade ao último passe.
Francisco Conceição – Agitador de jogo.
Evanilson – Entrou na fase de desespero para ajudar.

Ex-leão matheus trama o chelsea
Matheus Pereira, ex-jogador do Sporting, teve uma tarde para mais tarde recordar na goleada (5-2) do WBA no terreno do Chelsea, adversário do FC Porto nos quartos de final da Champions (1ª mão na próxima quarta-feira, em Sevilha, com os dragões como anfitriões).

O extremo, de 24 anos, marcou dois golos e fez duas assistências naquela que foi a primeira derrota do Chelsea desde a chegada do técnico Thomas Tuchel, no final de janeiro. O técnico, após o encontro, disse que quer "sacudir o momento na partida com o FC Porto".

Os blues até começaram melhor com um golo de Pulisic (27’). Mas perto do intervalo o luso-brasileiro Matheus Pereira bisou. Na 2ª parte, Robinson (63’ e 90’) e Diagne (68’) dilataram a vantagem do WBA frente ao Chelsea, que ainda reduziu por Mount (71’).

Novo alerta devido à covid
Vítor Baía e Luís Gonçalves juntaram-se a Fernando Gomes nos elementos da administração da SAD do FC Porto infetados com Covid. Pinto da Costa, segundo o ‘Record’, já foi vacinado. O caso positivo de Luís Gonçalves causou maior apreensão, uma vez que tem um contacto mais próximo com o plantel (é o habitual delegado nos jogos). Os azuis-e-brancos redobraram os cuidados junto dos jogadores, de forma a evitar um novo surto que afete a ponta final da temporada.

"Empate seria mais justo"
"Se o jogo acabasse empatado não era escândalo nenhum, até acho que seria mais justo", admitiu Sérgio Conceição, que se queixou dos jogos das seleções.
Ver comentários