Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto

"Não sou príncipe herdeiro": Rui Costa acede a exigências dos sócios em Assembleia Geral ‘quente’

Presidente demissionário propôs que as eleições sejam efetivamente com recurso ao voto físico. Veja o discurso.
Correio da Manhã 18 de Setembro de 2021 às 01:41
A carregar o vídeo ...
"Não sou príncipe herdeiro": Rui Costa acede a exigências dos sócios em Assembleia Geral ‘quente’

Rui Costa protagonizou um verdadeiro volte-face na Assembleia-Geral do Benfica desta noite.

Depois de horas de contestação e pedidos de demissão numa Assembleia-Geral Extraordinária ‘quente’, o presidente demissionário subiu ao palco para aceder às exigências dos sócios.

A Assembleia Geral, marcada por muita tensão, teve dois pontos essenciais. Os sócios exigiam a votação de um regulamento eleitoral e a certeza de que o voto físico iria prevalecer nas próximas eleições.

Para espanto dos presentes, Rui Costa propôs à mesa da Assembleia Geral que as eleições sejam efetivamente com recurso ao voto físico. O presidente do Benfica foi mais longe: admite a possibilidade do regulamento eleitoral ser aprovado em assembleia.

António Pires de Andrade recusou que tal acontecesse esta noite. Rui Costa começou o discurso negando uma vez mais ser "príncipe herdeiro".

Diz está onde está por ser, essencialmente, "muito Benfica".

Leia o discurso completo de Rui Costa
"Depois das eleições não quero mais contestação, que haja estabilidade no clube", disse o presidente das águias, enquanto os sócios gritam a pedir "votação!".

"Nunca quis nem serei um princípe herdeiro de nada. Estou aqui pelo Sport Lisboa e Benfica. Podem colocar em causa muita coisa sobre mim, se tenho capacidade, se não tenho capacidade, têm toda a legitimidade para isso, mas não podem pôr o meu benfiquismo e o que sou para este clube", atirou o líder das águias, que deixou claro que não quer que uma "noite como estas se volte a passar".

"Alguma coisa tem de mudar. Depois das eleições não quero mais contestação, que haja estabilidade no clube. Pela minha parte e da minha direção não temos qualquer oposição a que o voto seja físico nas próximas eleições para os órgãos sociais", frisou.

"Quem estiver nesta posição que consiga dar ao Benfica tudo o que o clube merece. Com o apoio de todos em prol da pessoa que cá estiver. Da minha parte, não quero que isto volte a acontecer".

Assembleia-Geral do Benfica Rui Costa AG desporto
Ver comentários