Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Polónia recusa defrontar a Rússia na qualificação para o Mundial 2022 após invasão à Ucrânia

Presidente da Federação de Futebol da Polónia considerou que esta "é a única decisão correta".
Lusa 26 de Fevereiro de 2022 às 09:51
Presidente da Federação de Futebol da Polónia
Presidente da Federação de Futebol da Polónia FOTO: Direitos Reservados/Twitter
A Polónia "não encara a hipótese de jogar a partida de qualificação" para o Mundial de futebol do Catar, previsto para 24 de março em Moscovo, disse este sábado o presidente da federação polaca da modalidade.

"Trégua nas palavras, é tempo de agir. Em virtude da escalada da agressão da Federação Russa na Ucrânia, a equipa da Polónia não encara a hipótese de jogar a partida de qualificação contra a seleção da Rússia", escreveu Cezary Kulesza na sua conta na rede social Twitter.

O presidente da Federação de Futebol da Polónia considerou que esta "é a única decisão correta", acrescentando que está a trabalhar com as federações checa e sueca para apresentar uma posição comum à FIFA, o regulador do futebol a nível mundial.

A Rússia lançou na quinta-feira de madrugada uma ofensiva militar na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamento de alvos em várias cidades, que já provocaram centenas de mortos, incluindo civis, e centenas de feridos, em território ucraniano, segundo Kiev. A ONU deu conta de 100.000 deslocados no primeiro dia de combates.

O Presidente russo, Vladimir Putin, disse que a "operação militar especial" na Ucrânia visa "desmilitarizar e desnazificar" o seu vizinho e que era a única maneira de o país se defender, precisando o Kremlin que a ofensiva durará o tempo necessário, dependendo de seus "resultados" e "relevância".

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional e motivou reuniões de emergência de vários governos, incluindo o português, e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), União Europeia (UE) e Conselho de Segurança da ONU, tendo sido aprovadas sanções em massa contra a Rússia.

Ver comentários
}