Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Reviravolta com três expulsões na II Liga

E. Amadora e Farense revivem uma célebre final da Taça.
Daniel Lopes Monteiro 22 de Agosto de 2021 às 09:52
Jogo de ontem entre Estrela da Amadora e Farense ficou marcado por três expulsões
Jorge Costa, treinador do Farense
Jogo de ontem entre Estrela da Amadora e Farense ficou marcado por três expulsões
Jorge Costa, treinador do Farense
Jogo de ontem entre Estrela da Amadora e Farense ficou marcado por três expulsões
Jorge Costa, treinador do Farense
Jogo de emoções fortes na Reboleira, onde o Estrela da Amadora venceu (3-1) na receção ao Farense, para a 3ª jornada da II Liga. Foram várias as incidências que deixaram o mítico Estádio José Gomes a fervilhar, num encontro marcado por três expulsões e uma reviravolta na reta final. Não faltaram condimentos no reencontro entre dois emblemas históricos do futebol português, que reviveram, assim, uma célebre final da Taça de Portugal.

Corria a temporada 1989/90 quando a formação tricolor e os leões de Faro se encontraram no Jamor. O Estrela, orientado por João Alves, havia conseguido a permanência na primeira Liga (terminou em 12º) e chegara à decisão da prova rainha após eliminar o V. Guimarães nas ‘meias’. Do outro lado estava um surpreendente Farense, guiado por Paco Fortes, que construiu um legado de 13 temporadas no clube. Os algarvios militavam no segundo escalão, mas conseguiram a promoção nessa mesma época. Contudo, era preciso contornar o teórico favoritismo do Estrela da Amadora. As duas equipas empataram (1-1) no jogo da decisão e foi preciso recorrer à finalíssima para se conhecer o vencedor. Aí, os amadorenses superiorizaram-se (2-0) e levantaram a Taça de Portugal, graças aos golos de Paulo Bento e Ricardo Lopes. Um duelo que se eternizou e que foi revivido este sábado, com muitos nervos à mistura.

Estrela e Farense estavam à procura da primeira vitória na II Liga da presente época. Os algarvios entraram bem e chegaram ao golo aos 17 minutos, por Pedro Henrique, mas tudo mudou com as expulsões de Bura (21’) e Cláudio Falcão (64’). A turma tricolor aproveitou a vantagem numérica e carregou em busca da reviravolta, algo que se tornou realidade nos últimos minutos: dois grandes remates de Tipote (81’) e Diogo Pinto (86’) deixaram o Estrela na frente. De seguida, Alex Pinto viu vermelho e deixou o Farense reduzido a 8, isto antes de Diogo Pinto bisar e selar o 3-1, nos descontos.

jorge costa muito crítico
No final do jogo, Jorge Costa, mostrou-se particularmente agastado. “Foi um jogo difícil em todos os sentidos. É por jogos como este que o Farense não está na primeira Liga”, começou por dizer o técnico da formação algarvia, destacando, depois, o comportamento da equipa. “Os meus jogadores trabalharam, deram o que tinham e o que não tinham. Estamos completamente condicionados para a próxima jornada, mas isto é uma maratona.”
Ver comentários