Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
8

Ronaldo lidera ensaio com golo e recordes frente ao Qatar

CR7 ajudou no triunfo sobre o Qatar com o seu 112º golo e tornou-se no jogador mais internacional da Europa: 181 jogos.
Mário Figueiredo 10 de Outubro de 2021 às 09:35
CR7 ajudou no triunfo sobre o Qatar com o seu 112º golo e tornou-se no jogador mais internacional da Europa: 181 jogos
CR7 ajudou no triunfo sobre o Qatar com o seu 112º golo e tornou-se no jogador mais internacional da Europa: 181 jogos FOTO: António Cotrim / Lusa
Portugal bateu este sábado o Qatar, por 3-0, num jogo que serviu de ensaio geral para a partida de terça-feira com o Luxemburgo e em que Cristiano Ronaldo liderou com um golo e com o recorde de maior número de internacionalizações da Europa, com 181 (superou Sergio Ramos).

Num jogo de sentido único, o da baliza qatari, Portugal dominou. Fernando Santos poupou alguns jogadores e permitiu a estreia de três: o guarda-redes Diogo Costa e o médio Matheus Nunes foram titulares e Rafael Leão entrou ao intervalo para o lugar de CR7.

Este jogo não conta para efeitos de classificação do grupo A de qualificação para o Mundial 2022, que será realizado precisamente no Qatar (cumpre os jogos mas já está apurado). Serviu apenas de preparação. O selecionador nacional rodou jogadores, mas isso não tirou acutilância à equipa. Aliás, o resultado só peca por escasso, mas já lá vamos.

Ronaldo quis jogar e voltou a marcar, melhorando o seu recorde de golos das seleções para 112. Oportuno e letal deu vantagem aos 37 minutos. Antes, sucederam-se ocasiões de golos. André Silva tentou de toda a maneira e feitio mas a bola não entrava. Dalot mostrou-se imparável com uma exibição consistente, onde foi forte a atacar e na procura do golo. Gonçalo Guedes arrancou em direção à muralha qatari e só o guarda-redes conseguiu travar a bola.

Na segunda metade, Portugal aumentou o domínio. Santos fez várias substituições, mas a equipa continuou forte e esbanjadora. José Fonte fez o 2-0, numa recarga a um cabeceamento de William Carvalho. Leão acertou nos ferros duas vezes e André Silva redimiu-se já nos descontos, com o 3-0. E festejou de modo tímido, consciente de que só ele podia ter protagonizado uma goleada.

Momentos do jogo
37’
Jogada estudada com o estreante Matheus Nunes a cruzar largo para a área, onde Diogo Dalot assistiu, em cima da linha de fundo, Cristiano Ronaldo que não perdoou e fez o 1-0.

48’
Bom cruzamento de João Mário para a área, onde William Carvalho cabeceia para defesa incompleta do guarda-redes qatari. José Fonte oportuno fez o 2-0 na recarga.

90’+1
Depois de uma noite de grande desperdício, André Silva acabou por ver recompensado o seu esforço com um golo no descontos através de um cabeceamento, após assistência de Rafael Leão.

Positivo e negativo
+Dia de estreias
Portugal ganhou num dia marcado pelas estreias de Diogo Costa, Matheus Nunes e Rafael Leão. O guarda-redes e o médio foram titulares. O avançado substituiu CR7. Até José Fonte se estreou a marcar.

-Goleada falhada
A Seleção dominou um jogo de sentido único, em que sucederam-se os lances claros de golo falhados. André Silva liderou, mas também CR7, Guedes e Rafael Leão desperdiçaram. Faltou a... goleada.

Arbitragem
Perdulário na disciplina
Benefício da dúvida em três lances em que os portugueses pediram penálti. Muito permissivo no capítulo disciplinar, o que fez com que os qataris aumentassem a intensidade das faltas.

Vitória sofrida da Sérvia
A Sérvia sofreu ontem para vencer fora o Luxemburgo, por 1-0, na qualificação para o Mundial 2022. O golo decisivo, da autoria de Vlahovic, surgiu apenas aos 68 minutos. Com este triunfo, a Sérvia passa a liderar o grupo de Portugal, com mais um ponto e um jogo disputado. A seleção luxemburguesa voltou a mostrar a evolução registada nos últimos anos e vendeu cara a derrota. Perante a inoperância do seu ataque, o selecionador sérvio, Dragan Stojkovic, lançou Radonjic, extremo do Benfica, logo no início da segunda parte. Svilar, por sua vez, não saiu do banco de suplentes.

Nos outros jogos de ontem, destaque para a Dinamarca (sete vitórias em outros tantos jogos), que tem pé e meio no Mundial do Qatar no próximo ano. Registe-se, ainda, a titularidade de Vlachodimos na baliza da Grécia.
Ver comentários