Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
7

Sete profissionais de saúde acusados pela morte de Maradona

Sete pessoas estão acusadas de "homicídio simples com dolo eventual".
Record 20 de Maio de 2021 às 09:29
As autoridades argentinas acusaram sete pessoas por "homicídio simples com dolo eventual", no âmbito da investigação à morte de Maradona. A notícia é avançada pela agência EFE. Os acusados já foram notificados para responder a um inquérito e foram proibidos de deixar o país.

Os visados são todos profissionais de saúde, que assistiram o antigo craque nos seus últimos dias de vida. Maradona morreu a 25 de novembro do ano passado.

Trata-se dos enfermeiros Ricardo Omar Almirón e Dahiana Gisela Madrid, do coordenador de enfermeiros, Mariano Perroni, da médica que coordenava o internamento domiciliário, Nancy Forlini, do psicólogo Carlos Ángel Díaz, da psiquiatra Agustina Cosachov e do neurocirurgião Leopoldo Luque.

Estavam todos a ser investigados por alegado homicídio culposo, mas foram agora acusados de homicídio com dolo eventual, um delito que pode conduzir a penas entre os 8 e os 25 anos de prisão.
Maradona EFE crime lei e justiça crime homicídio
Ver comentários