Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
3

Sporting bate o Tondela em bom ensaio geral para dérbi com o Benfica

Equipa de Rúben Amorim soma a 11.ª vitória consecutiva em todas as provas e continua sem perder na Liga.
Mário Figueiredo 29 de Novembro de 2021 às 01:30
Paulinho regressou aos golos na Liga, no jogo frente ao Tondela
Paulinho regressou aos golos na Liga, no jogo frente ao Tondela FOTO: Vitor Chi
O Sporting conseguiu este domingo a 11ª vitória consecutiva ao bater o Tondela, por 2-0, o que lhe permite disputar o dérbi com o Benfica na Luz, na próxima sexta-feira, invicto nesta edição da Liga.

Rúben Amorim mexeu nas laterais com a entrada de Esgaio para a direita e Nuno Santos para a esquerda. De resto manteve-se fiel ao ditado popular de que em equipa que ganha não se mexe. E a verdade é que os leões precisaram apenas de 10 minutos para fazerem o primeiro golo. Após uns ameaços, Sarabia acabou por dar vantagem ao Sporting ao beneficiar de um erro de um defesa que lhe entregou a bola dentro da área. Há um primeiro remate de Paulinho, com a bola a sobrar para a zona de Neto. O defesa tondelense, na tentativa de anular o lance, acabou por entregar a bola a Sarabia, que não perdoou.

O golo sofrido não intimidou o Tondela, que manteve um futebol direto e a criar problemas à defesa leonina, com Dadashov e Rafael Barbosa a causarem algum transtorno à melhor defesa da Liga. Neto, Coates e Inácio chegaram para as encomendas e quando a bola passava, estava lá o guarda-redes Adán.

A equipa leonina abrandou o ritmo e foi adormecendo, acabando por perder a acutilância ofensiva dos minutos iniciais.
Amorim não gostava do que via e a verdade é que a equipa surgiu do intervalo com uma postura mais aguerrida e com vontade de evitar um possível dissabor por defender a magra vantagem. E se na primeira metade precisou de apenas 10 minutos para marcar, na segunda necessitou somente de cinco. Paulinho, que minutos antes tinha pedido uma grande penalidade sem razão, aproveitou uma oferta de Pote para ampliar a vantagem. Sarabia, que este domingo esteve endiabrado, tem um primeiro remate à baliza que é defendido por Trigueira, com a bola sobrar para Pote, que oferece numa bandeja o golo a Paulinho.

O leão respirava de alívio, mas não baixou as armas. Manteve a pressão e sucederam-se os golos falhados, em parte devido à boa exibição de Trigueira. Amorim aproveitou então para rodar a equipa e fazer descansar alguns jogadores a pensar no dérbi da Luz. Nessa altura, o balde de água fria foi a lesão de Palhinha. Os leões somaram mais um triunfo fácil, o 13º nos últimos 14 jogos. O sétimo consecutivo em jogos da Liga.

"Sem Palhinha joga outro..."
"Se o Palhinha não puder jogar [na Luz frente ao Benfica], é recuperar bem e vai jogar outro. Nem eu nem ele sabemos. Quando já temos experiência, sabemos que rasgamos e rasgamos. Já é normal na nossa situação. Eu acho que ele ainda não sabe bem e a incerteza cria ali alguma ansiedade. Ele tem é de recuperar bem e não pensar muito. Se tiver de falhar um jogo ou outro, não será problema", disse Rúben Amorim sobre a lesão de Palhinha, que o pode obrigar a falhar o jogo com o Benfica, na próxima sexta-feira.

Sobre o jogo, referiu: "Vínhamos de um jogo muito difícil e desgastante. Passámos um objetivo. Entrámos bem no jogo, marcámos um golo e desligámos um bocadinho. Como não precisávamos mais do golo, foi esse o pensamento dos jogadores. Já estive na situação deles e sei como é."

Antevendo desde já o dérbi com o Benfica, o treinador adiantou: "Temos de vencer para mantermos a nossa posição. Se não vencermos, podemos ser ultrapassados pelo FC Porto. Queremos vencer e manter a nossa posição."

Paulinho desencalha
Paulinho regressou aos golos no campeonato. Marcou o segundo golo na Liga, dez jornadas depois. O primeiro foi na ronda inaugural com o Vizela (6 de agosto). O avançado soma ainda três golos na Champions.

Nazinho está em todas
Nazinho viveu uma semana de sonho, com a estreia na Champions frente ao Dortmund (3-1) e este domingo na Liga portuguesa. Já jogou também na Liga 3 e na Youth League. O lateral de 18 anos está em todas.

"Foi uma vergonha"
"Não pode voltar a acontecer. Foi uma vergonha. Pode ter influência no campeonato e no melhor marcador. Foi tudo muito estranho", disse Rúben Amorim sobre o Belenenses SAD-Benfica.

Análise ao jogo
Positivo: Pote de... solidariedade
Pote revelou uma nova vertente. Com quatro golos nos últimos quatro jogos, abdicou de somar mais um ao assistir Paulinho no 2-0. Uma oferta que fez o próprio Paulinho destacar o papel do companheiro no lance. Um Pote cheio de... solidariedade.

Negativo: Lesão de Palhinha
O leão teve uma noite tranquila, apesar de ter adormecido um pouco com a vantagem madrugadora. Mas o pior do jogo parece mesmo ter sido a lesão de Palhinha (coxa direita) e que compromete a sua presença no dérbi com o Benfica na sexta-feira.

Arbitragem: Golo bem validado
O primeiro golo do Sporting gerou algumas dúvidas, mas foi o defesa do Tondela quem fez o último passe, entregando a bola a Sarabia. Bem no capítulo disciplinar e ao mandar jogar num lance em que Paulinho ficou a pedir penálti.

Análise aos jogadores
Sarabia - Muito ativo no ataque leonino. Fez o primeiro golo ao aproveitar um erro de um defesa. Criou várias situações de perigo e podia ter marcado mais um ou dois golos frente ao Tondela.
Adán – Um punhado de defesas de qualidade a manter a tranquilidade na equipa.
Luís Neto – Tem papel ativo no 1º golo e um corte de elevadíssimo nível a negar outro.
Coates – É o patrão deste Sporting. Qualidade e classe.
Gonçalo Inácio– Jogou na esquerda e cumpriu. Cortes com bom nível.
Esgaio – Algumas falta de ritmo e bolas perdidas. Acabou por acertar o passo.
Palhinha – Faz o trabalho invisível com muita qualidade. Saiu lesionado e a chorar.
Matheus Nunes – Desequilibrador, marcou o ritmo da equipa nas ações ofensivas.
Nuno Santos – Foi o lateral-esquerdo e trouxe profundidade. Bons cruzamentos e ainda tentou marcar.
Paulinho – Voltou aos golos após uma oferta de Pote. Trabalhou muito, mas continua a falhar na mesma proporção.
Pedro Gonçalves – Não marcou, mas fez a assistência para o golo de Paulinho. Teve um par de remates que foram travados por Trigueira.
Daniel Bragança – Permitiu dar descanso a Matheus Nunes para o dérbi.
Tiago Tomás – Refrescou o ataque e manteve a pressão na defesa tondelense.
Ugarte – Cumpriu.
Nazinho – Semana de sonho com estreia na Champions e na Liga portuguesa.
Tabata – Refrescou.
Ver comentários