Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
5

Sporting bate Paços de Ferreira e dá bofetada de luva branca

Bas Dost desbloqueou vitória com um golo aos 20 minutos e, nos festejos, notou-se a união do plantel, longe do banco onde estava Bruno de Carvalho.
Mário Figueiredo 9 de Abril de 2018 às 01:30
Sporting venceu Paços de Ferreira em Alvalade
Bruno de Carvalho saiu auxiliado do banco de suplentes
Sporting venceu Paços de Ferreira em Alvalade
Bruno de Carvalho saiu auxiliado do banco de suplentes
Sporting venceu Paços de Ferreira em Alvalade
Bruno de Carvalho saiu auxiliado do banco de suplentes
Uma bofetada de luva branca foi a resposta dos jogadores do Sporting ao presidente Bruno de Carvalho, com um triunfo incontestável sobre o P. Ferreira (2-0).

Após a polémica dos últimos dias que envolveu o presidente e o jogadores do Sporting, a resposta foi dada em campo. Uma vitória, sem nota artística, mas que serviu aos jogadores para mostrarem a sua posição face às críticas e às ameaças de processos disciplinares feitas pelo presidente.


Os adeptos receberam o presidente com assobios e lenços brancos. Nem mesmo a palmadinha no rosto de Jorge Jesus acalmou a animosidade. O líder leonino sentou-se no banco e não teve papel ativo na festa dos golos. Acabou por sair do relvado apoiado e com cara de grande sofrimento.

No campo, Jorge Jesus foi obrigado a mexer na equipa devido às lesões de William Carvalho e Coentrão e ao castigo de Piccini. Estreou-se o médio brasileiro Wendel a titular, com boas indicações.

O Sporting foi sempre a melhor equipa, apoiada pelos adeptos numa manifestação de confiança. Bas Dost, um dos visados nas críticas do presidente, foi o primeiro a dar sinal de perigo. O primeiro cabeceamento saiu fraco, mas no segundo não perdoou e fez o 1-0. Bryan Ruiz cruzou para Bruno Fernandes que, ao primeiro poste, assistiu Bas Dost que cabeceou para o golo. A festa demonstrou a união do grupo. Longe do banco de suplentes, mas todos unidos com os adeptos.

O golo trouxe tranquilidade. Aos jogadores e aos adeptos. Bruno manteve-se impávido e sereno. Sentado.

Coates ainda ficou a reclamar um penálti por ter sido agarrado por Assis, mas o vídeo-árbitro mandou jogar.

Na etapa complementar, os leões aceleraram e acercaram-se da baliza de Mário Felgueiras com perigo. Gelson Martins, com a sua irreverência, foi dos mais perigosos. Esteve perto do golo com um remate enrolado que quase enganava Felgueiras.

O golo chegou por outro 'mal amado' de Bruno de Carvalho. Bryan Ruiz rematou certeiro, após um cruzamento atrasado de Gelson. Os pacenses iam visando a baliza de Rui Patrício com remates em bolas paradas, mas a lesão de Mário Felgueiras obrigou o central Rui Correia a ir para a baliza, dificultando qualquer reação. Os leões regressaram às vitórias, após as derrotas com o Sp. Braga (1-0) e Atl. Madrid (2-0) e até deram uma volta ao estádio, onde foram aclamados pelos adeptos.

Adeptos pedem demissão do líder
Grande parte dos adeptos do Sporting não escondeu o desagrado para com Bruno de Carvalho e exigiu a sua demissão. Muitos sportinguistas exibiram cartazes a pedir a saída imediata e insultaram o atual líder. "Insultos. Vão chamar nomes às famílias deles", disse no final Bruno de Carvalho, acusando muitos adeptos de "ingratidão e memória curta". "Eu e a minha mulher vamos ter amanhã [hoje] a nossa filha e estou preocupado, porque vamos ser pais", revelou o líder dos leões.

A revolta dos adeptos foi tal que assim que Bruno de Carvalho pisou o relvado foi imediatamente assobiado. Nas bancadas do estádio viram-se também muitos sportinguistas acenar com lenços brancos.

Já no final do jogo, Bruno voltou a enfrentar a ira dos adeptos que o assobiaram e voltaram a acenar com lenços brancos. O presidente abandonou o campo de forma vagarosa, com queixas lombares.

ANÁLISE
Mais: Jorge Jesus e a união
Jorge Jesus conseguiu unir o plantel num momento difícil e conturbado. O técnico manteve a equipa competitiva e os jogadores concentrados, mesmo perante as ameaças feitas pelo presidente. Os atletas cumpriram a sua parte ao darem tudo dentro de campo.

Menos: Clima de crispação
O clima de crispação criado por Bruno de Carvalho provocou uma tensão inesperada no jogo, com sócios a dividirem-se no apoio ao presidente e aos jogadores. Uma divisão que não beneficia em nada um clube com a grandeza do Sporting.

Penálti e golo anulado
Bruno Esteves fica com o benefício da dúvida no fora de jogo que anula um golo a Bas Dost. Bem ao mandar jogar num lance entre Coates e Assis na área pacense, mas esteve mal ao não assinalar uma falta sobre Palhinha para penálti (90').
Ver comentários