Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
9

Triunfo de Leão sem medo frente ao V. Guimarães

Gonçalo Inácio, de 19 anos, assumiu-se como patrão da defesa e marcou o golo que mantém os leões invictos na Liga.
Mário Figueiredo e João Moniz 21 de Março de 2021 às 01:30
Gonçalo Inácio, de cabeça, fez o único tento do desafio, o seu primeiro na Liga
Gonçalo Inácio, de cabeça, fez o único tento do desafio, o seu primeiro na Liga FOTO: Reuters
O Sporting manteve a invencibilidade na Liga ao bater ontem o V. Guimarães, por 1-0, com um golo do jovem central Gonçalo Inácio e a surpreendente estreia de Dário Essugo, de 16 anos e 6 dias.

Rúben Amorim disse que não teme nada, nem a Covid, e mexeu no sistema tático. Em vez do 3x4x3 habitual, apostou num 3x5x2 híbrido, que rapidamente se transformava no 3x4x3 com as subidas constantes ora de João Mário, ora de Daniel Bragança, uma das novidades a titular. Paulinho recuperou da lesão, mas começou no banco. Na defesa, Amorim ganhou a aposta de colocar o jovem Gonçalo Inácio no centro, no lugar de Coates, mas já lá vamos.

Os leões surpreenderam os vimaranenses com as mudanças constantes na frente de ataque. Uma rotatividade que criava problemas à defesa na marcação. Mas o perigo só chegou a partir do quarto de hora, com um remate de João Mário a obrigar Varela a aplicar-se a fundo.

Pedro Gonçalves brilhava com técnica, mas revelava falta de pontaria. Acertou na barra e no... guarda-redes.

Adivinhava-se o golo do Sporting, tal o fluxo ofensivo. E chegou por Tiago Tomás, mas foi anulado após o recurso ao VAR, porque a bola terá saído pela linha lateral no início da jogada. Ficam dúvidas.

Os vimaranenses reagiram e no mesmo minuto atiraram duas bolas aos ferros. Primeiro num remate de Edwards que Adán defendeu para a barra. Na sequência do canto, Estupiñán cabeceou à barra. Os leões acordaram e ficaram em alerta. Tiago Tomás criava perigo, mas foi Gonçalo Inácio quem marcou. E este golo contou, mas foi preciso a validação do VAR. O menino, de 19 anos, aprendeu bem com Coates.

Na etapa complementar, os leões estiveram mais na expectativa. A vantagem era magra, mas preciosa para manter a pressão nos adversário. Cresceu o V. Guimarães, com Estupiñán a ser o maior incómodo para os leões. Mas aí os sportinguistas começaram a explorar as costas da defesa vimaranense com passes longos. Tiago Tomás ainda esteve perto do golo. Triunfo justo de um leão sem medo, que mantém dez pontos de diferença para o FC Porto.

Análise ao jogo
Positivo: Gonçalo Inácio, um líder
O jovem defesa-central de 19 anos não tremeu quando assumiu o lugar de Coates no jogo de ontem. Revelou-se um aluno perfeito do uruguaio. Forte a defender e com golo. Os leões apresentaram uma equipa jovem com uma média de idades do onze de 23,8 anos. No último jogo foi de 24,6.

Negativo:  Susto com Palhinha
João Palhinha vive o melhor momento da carreira. Grandes exibições, reconhecimento internacional e a chamada à seleção nacional para os jogos de qualificação para o Mundial de 2022. Caiu sobre o braço e ficou com queixas... resta esperar que seja apenas... um susto. 

Arbitragem: VAR tira, VAR dá
O Sporting viu o VAR anular um golo a Tiago Tomás por a bola ter saído pela linha lateral no início da jogada. Ficam dúvidas se a bola transpôs a totalidade da linha. Mas foi o VAR que validou o golo de Gonçalo Inácio, ao emendar a decisão de Tiago Martins, pois não havia fora de jogo.

Análise aos jogadores
Gonçalo Inácio - Jogou no lugar de Coates e ninguém desesperou pelo uruguaio, o que é um grande elogio. Depois brilhou nos passes longos e marcou o golo decisivo, o seu primeiro na Liga.
Adán – Eficiente (34’) a desviar para o poste um remate de Edwards.
Neto – Não jogava desde 9 de fevereiro e notou-se a falta de ritmo quando Edwards o deixou para trás no 1º lance de perigo do Vitória.
Feddal – Falhou o tempo de salto (34’) num canto, deixando a bola passar para Estupiñán acertar na trave.
Porro – Seguro a defender, fez um bom cruzamento (18’) que Pote desperdiçou.
Palhinha – Mais uma exibição recheada de interceções e recuperações de bola.
Daniel Bragança – Tentou dar vivacidade ao meio-campo, mas foi perdendo gás.
Nuno Mendes – Foi pelo seu flanco que o Vitória mais atacou. Saiu esgotado.
João Mário – Quase marcava (15’). Alguns bons passes.
Pedro Gonçalves – Falhou um golo feito ao acertar na trave (18’) e assistiu Tiago Tomás para um golo que foi anulado.
Tiago Tomás – Muito movimentado no ataque. Marcou (26’), mas não contou. Participou no lance do golo.
Tabata – Pouco acrescentou à equipa em 20 minutos.
Paulinho – Falhou o 2-0 nos descontos e ajudou a defesa.
Essugo – Estreia aos 16 anos.
Matheus Reis – Refrescou o lado esquerdo da defesa.
Jovane – Sem influência.
Ver comentários