Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
1

Vitória do Benfica relança campeonato

Benfica venceu, mas falhou muitas ocasiões de golo. Expulsão do pacense Denilson Jr ajudou a equipa de Veríssimo a chegar à vantagem.
Filipe António Ferreira e Mário Figueiredo 10 de Janeiro de 2022 às 01:30
Everton, Benfica
Everton, Benfica FOTO: Miguel A. Lopes / Lusa
OBenfica venceu este domingo o P. Ferreira naquela que foi a estreia de Nélson Veríssimo a ganhar e no primeiro jogo do técnico (esta época) na Luz. Um triunfo justo, com muitas oportunidades desperdiçadas, mas que só começou a ser construído depois da expulsão do pacense Denilson Jr à beira do intervalo.
Veríssimo manteve o esquema tático (4x4x2) utilizado no último jogo com o FC Porto. Otamendi e Grimaldo regressaram ao onze, assim como Helton Leite e Seferovic, que ocuparam os lugares de Odysseas e Yaremchuk (em quarentena).

As águias entraram agressivas e a querer resolver a partida diante de um adversário que quase nunca ultrapassou o meio-campo. A canalizar quase sempre o jogo pela esquerda, o Benfica foi acumulando lances de perigo na baliza de André Ferreira. Seferovic, Rafa e principalmente Gonçalo Ramos (atirou à barra) tiveram hipóteses de traduzir em golos a superioridade em campo.

Já perto do intervalo, acabou por acontecer aquele que foi um dos momentos do encontro. Denilson Jr foi expulso (mal ) num lance que Vítor Ferreira deu amarelo inicialmente. Quando os jogadores e banco do Paços ainda protestavam, o Benfica marcou por intermédio de João Mário, que surgiu no sítio certo após defesa incompleta de André Ferreira a remate de Gonçalo Ramos.

O Benfica voltou a entrar forte após o descanso. Seferovic mostrou-se perdulário, mas depois as águias adormeceram e Diaby teve excelente hipótese para empatar. O lance e as substituições operadas deram ao Benfica nova cara. Foi o defesa Grimaldo que acabou por tranquilizar a equipa com um golaço do meio da rua. Até final, Darwin teve várias chances para dedicar um golo ao filho recém-nascido, mas não era o dia do uruguaio.

O Benfica fecha a primeira volta com um triunfo e mais perto do segundo lugar.

Momentos do jogo
45’+2
Denilson Jr, depois de um corte imprudente, atinge com pé alto o ombro de Grimaldo. O árbitro mostra o amarelo ao avançado do Paços, mas depois de ver as imagens dá vermelho.

45’+5
Seferovic assiste de cabeça Gonçalo Ramos. Isolado, permite a defesa de André Ferreira. A bola acaba por sobrar para João Mário, que fez o golo a terminar o primeiro tempo.

75’
Grimaldo, de fora da área, marca um golaço sem hipóteses para André Ferreira, que bem se esticou, mas nada conseguiu fazer para travar a bomba do lateral espanhol.

Positivo e negativo
+Tática para ficar
Veríssimo mudou a tática e o Benfica parece estar melhor. Mais confiante. Em vez das transições rápidas de outrora, o ataque encarnado é agora mais posicional e elaborado. No segundo tempo, a entrada de Paulo Bernardo levou a mudar para 4x3x3 com boas indicações.

-Ineficácia encarnada
O Benfica falhou muitos golos, mesmo antes da expulsão. Ramos voltou a merecer nova oportunidade, mas falhou. Seferovic também teve hipóteses e também falhou. Depois Darwin ainda marcou (mas estava fora de jogo) e depois falhou dois golos (um deles de forma incrível).

Arbitragem: Vermelho mal mostrado
O vermelho a Denilson Jr, depois de acionado o VAR, foi tremendamente exagerado. Amarelo justificava-se, como Vítor Ferreira mostrou inicialmente. Aos 25’, Otamendi tem uma entrada dura sobre Eustáquio, viu amarelo, mas o cartão poderia ter sido de outra cor.

Um motor diesel com muita aceleração
Helton Leite – Uma grande defesa a remate de Diaby.
Gilberto – Melhor a atacar do que a defender. Um remate perigoso que saiu por cima.
Otamendi – Seguro e com muita garra. Uma entrada dura sobre Eustáquio.
Morato – Jogou simples e sem complicar.
Grimaldo – Está no lance da expulsão de Denilson. Alguns bons passes e um... golão.
Weigl – Aguentou o meio-campo com papel importante na zona de construção dos forasteiros.
Everton – Um quebra-cabeças para a defesa pacense na primeira parte, mas Gonçalo Ramos e Seferovic não aproveitaram.
Rafa – Bem na primeira parte com boas arrancadas e cruzamentos. Bom remate ao lado. Depois desapareceu.
Gonçalo Ramos – Criou oportunidades e até atirou à trave. Muito tenrinho.
Seferovic – Muito ativo e perdulário. Dispôs de várias ocasiões de golo, mas falhou. Assistiu Grimaldo no golo.
Darwin – Duas ocasiões de golo cantado desperdiçadas. Uma ainda bateu na trave.
João Mário - Parece um motor diesel no meio-campo, mas revela grande aceleração. Marcou o ritmo da equipa e surgiu na zona de finalização desbloqueando a vitória com o golo (45’+5).
Lazaro – Trouxe profundidade ao flanco direito.
Paulo Bernardo – Agitador e interventivo. Sem medo.
Diogo Gonçalves – Mexeu com com o jogo.
Taraabt – Refrescou.

"Objetivo é encurtar distância"
"Foi uma vitória importante que nos permitiu reduzir a diferença para um dos rivais. O objetivo é encurtar distância para o FC Porto e Sporting", disse Nélson Veríssimo após o triunfo sobre o P. Ferreira, que deixa o Benfica a 7 pontos dos dragões e a 4 dos leões. O técnico do Benfica realçou o trabalho da equipa, mas acredita que pode melhorar: "Não revelámos a regularidade e consistência que pretendemos. Criámos oportunidades de golo suficientes para dilatar a vantagem."
Ver comentários