Barra Cofina

Correio da Manhã

Desporto
2

Judo português quer chegar o mais longe possível nos Paralímpicos Tóquio2020

"Um lugar no pódio seria excecional", disse Jerónimo Ferreira, coordenador da modalidade.
Lusa 22 de Agosto de 2021 às 09:50
Missão Paralímpica em Tóquio recebida no Centro Desportivo de Kanagawa
Missão Paralímpica em Tóquio recebida no Centro Desportivo de Kanagawa FOTO: Carlos Matos /CPP
Portugal parte para os Jogos Paralímpicos Tóquio2020 com ambição de "chegar o mais longe possível" no judo, competição na qual estará representada por Djibrillo Iafa, com o coordenador da modalidade a admitir que "um pódio superará as expectativas".

"Queremos chegar o mais longe possível, ambicionando sempre um diploma. Um lugar no pódio seria excecional", disse Jerónimo Ferreira, coordenador da modalidade, à agência Lusa.

Depois de se ter estreado na modalidade nos Jogos Paralímpicos Rio2016, com a participação de Migue Vieira, Portugal volta a marcar presença, desta vez através de Djibrillo Iafa, que compete na categoria B1, destinada a cegos totais.

Com muito poucas competições desde o início da pandemia de covid-19, e uma lesão pelo meio, Jerónimo Ferreira admite saber pouco sobre a concorrência que Djibrillo Iafa vai encontrar no Nippon Budokan, o palco onde Jorge Fonseca conquistou o bronze olímpico no torneio de -100kg.

"Nos últimos dois anos, as competições foram muito poucas, o Djibrillo fez um sétimo lugar numa competição internacional, mas também teve uma lesão", afirmou o responsável técnico.

Jerónimo Ferreira considerou que a adaptação do judoca ao ambiente é muito importante considerando importante o estágio que a comitiva portuguesa está a realizar, desde dia 15, na cidade de Fujisawa.

Djibrillo Iafa, de 29 anos, é um dos 17 estreantes entre os 33 representantes de Portugal nos Jogos Paralímpicos Tóquio2020, que decorrerão entre terça-feira e 05 de setembro.

judo Paralímpicos Tóquio2020 Jerónimo Ferreira judocas desporto
Ver comentários