Barra Cofina

Correio da Manhã

Domingo
2

Arte trocada por miúdos

Alunos de Almada fizeram versão fotográfica dos ‘Painéis de São Vicente’ à moda do século XXI.
Marta Martins Silva 5 de Junho de 2016 às 16:00
Pormenor dos 'Painéis' recriados em 'selfie' pelos jovens estudantes
Pormenor dos 'Painéis' recriados em 'selfie' pelos jovens estudantes FOTO: D.R.

Pedro só joga futebol na PlayStation, mas transformou-se em Cristiano Ronaldo. Maura canta fado, mas desta vez vestiu a roupa de Marilyn Monroe. Joel é um rapaz, mas encarnou a cantora Mariza. Daniel é tímido mas agarrou o Óscar de Leonardo DiCaprio com convicção. Sara e Miguel fingiram-se de Angelina Jolie e Brad Pitt num ‘casamento’ que foi só mesmo para a fotografia.


Todos eles são alunos do 11º ano do curso profissional técnico de Design Gráfico da Escola Secundária de   Cacilhas-Tejo, Almada, a turma que recebeu o primeiro prémio de fotografia no concurso ‘A Minha Escola Adota um Museu, um Palácio, um Monumento’. ‘Adotaram’ o Museu Nacional de Arte Antiga e ‘tomaram de assalto’ a obra ‘Painéis de São Vicente’ – fizeram um remake fotográfico voltado para a atualidade, transformando a imagem de 1470 – atribuída ao pintor Nuno Gonçalves, embora quer a data quer a autoria não reúnam   consenso – numa contemporânea série onde as figuras não são frades nem infantes, são antes personalidades conhecidas do grande público. Ou não fossem os alunos desta geração – nesta turma têm entre os 16 e os 19 anos – ‘prós’ nisto de se fotografarem com o telemóvel e publicarem à exaustão os autorretratos nas redes sociais, as mesmas onde também acompanham a par e passo as vidas dos ídolos.


NA PELE DE RONALDO

O desafio da turma começou por ser estético: tentar ter o mesmo número de figuras presentes por painel e o mais possível nas mesmas posições do que aquelas que aparecem na obra descoberta em finais do século XIX no Paço Patriarcal de São Vicente de Fora, em Lisboa, por muito distantes que sejam os temas. O Painel dos Frades transformou-se no painel do Desporto, com Cristiano Ronaldo a roubar o plano ao tenista Rover Federer e à judoca Telma Monteiro. "Só não tenho o dinheiro do Ronaldo, de resto tenho tudo. E só jogo futebol na PlayStation, na realidade jogo vólei", brinca Pedro Veras, de 18 anos, que não se ficou pelo futebolista na selfie coletiva das celebridades. "Também fui o Ben Affleck, o Elvis Presley e o Gandalf [personagem de ‘O Senhor dos   Anéis’]", orgulha-se. Também é ele que explica que no painel da Política e da Religião (na obra original chamada Painel dos Pescadores) estão deputados corruptos: "É óbvio que a nossa geração se preocupa com os deputados corruptos,   porque   daqui   a uns anos somos nós que vamos pagar isto."


Para não se achar que os adolescentes do século XXI andam a dormir, na mesma imagem há um José Sócrates ajoelhado e algemado, desempenhado por Ricardo Almeida. "Estávamos um bocado reticentes se o púnhamos   ou não, por ser um bocado polémico, mas  acabámos por decidir que sim por ser uma questão da atualidade", explica Sara Custódio, de 17 anos, responsável por este painel e também pelo da Política e Religião, onde além do ex-primeiro-ministro que esteve preso está também representado o papa Francisco, vestido por Diogo Casimiro, e um Daniel Tulbur de braços cruzados a fazer de Donald Trump, o candidato republicano às eleições presidenciais nos EUA.

Difícil foi chegar a um consenso sobre que figura central faria as vezes do infante Dom Henrique no painel da   Música. "A turma queria que a personagem que representasse a música portuguesa fosse o Quim Barreiros, mas eu e alguns colegas achámos que devíamos ter outro tipo de representante. Nessa altura, a Mariza tinha cantado na tomada de posse do Presidente da República e por isso achámos que era boa opção. Houve alguma discussão, mas conseguimos chegar a um consenso", partilha Paula Penha, professora da disciplina Oficina Gráfica, uma das docentes que orientaram a turma neste projeto, a par da colega Teresa Saldanha, que dá aulas de História de Arte.

Para caracterizar a fadista, a turma elegeu Joel Fernandes – "gastámos uma embalagem de cera para pôr o cabelo parecido" – que no painel das Celebridades também representa uma mulher: Ellen DeGeneres, a   comediante que na cerimónia dos Óscares de 2014 tirou uma selfie rodeada de estrelas de Hollywood que ficaria para a história daquela edição do evento. Neste remake feito na margem sul do Tejo, Mariza partilha  o ‘palco’   com estrelas como Rihanna, Eminem, Madonna, Snoop Dogg, Bruno Mars, Steve Aoki  e Justin Bieber, pelo   que não se pode dizer que não há democracia musical por estas bandas.


ESTRELAS DE HOLLYWOOD

No painel  de Hollywood também há espaço para vários egos: há um seguro DiCaprio depois de receber o Óscar, uma Jennifer Lawrence vacilante (a atriz norte-americana já caiu duas vezes, uma na cerimónia maior da sétima arte, outra numa estreia), uma Kardashian a tentar roubar a cena (nada que uma das irmãs não faça na vida real), o casal ‘Brangelina’, Sylvester Stallone, Rowan Atkinson (o ator que dá corpo a Mr. Bean), Ben Affleck, Scarlett Johansson e uma sorridente Ellen.

Ao lado, o antigo Painel dos Cavaleiros cedeu a moldura às personagens que a turma elegeu como as mais   marcantes dos filmes e séries que lhes ocupam as matinés e os serões: há desde o hobbit Bilbo, ao pirata Jack   Sparrow, passando por um zombie, um Harry Potter e até um Darth Vader, que aproveitou a caracterização para pregar uns sustos na escola.

"Por último, o painel dos mortos. Os alunos chegaram à conclusão de que havia figuras muito marcantes que já não estavam entre nós", conta Paula Penha. Casos de Amy Winehouse, Marilyn Monroe, Michael Jackson, Kurt Cobain e Elvis Presley – curiosamente, todos eles, à exceção da cantora de ‘Rehab’ e da voz de ‘Thriller’, morreram antes destes adolescentes nascerem, o que prova que há ícones que na verdade nunca desaparecem.


É um bocadinho o que se passa com os ‘Painéis de São Vicente’  – por muitos anos que passem (e estamos a falar do século XV, por isso são mesmo muitos!) – a obra continua envolvida numa aura de mistério que resiste a correntes estéticas, teorias da conspiração e... até virou selfie, a moda do século XXI, pela mão desta turma de artistas de Cacilhas.
Painéis de São Vicente Museu Nacional de Arte Antiga Nuno Gonçalves Escola Secundária de Cacilhas
Ver comentários