Barra Cofina

Correio da Manhã

Domingo
4

Vale sempre a pena

Habituados que estamos às declarações de intenções dos políticos – “vamos fazer isto e aquilo” – torna-se difícil acreditar quando uma promessa é concretizada.
7 de Dezembro de 2008 às 00:30
Vale sempre a pena
Vale sempre a pena

E mais dificil se torna ainda quando são questões urbanísticas – envolvem sempre interesses... – que estão em causa. Mas foi o que aconteceu em Vila Nova de Milfontes. Tudo começou com uma queixa de vários moradores, que colocaram em causa a construção de um edifício (mais parecia uma torre!) na zona antiga. Recorreram ao CM e perguntaram à Câmara de Odemira: “Será que os responsáveis autárquicos não sabem o que se passa? Ou, pior ainda, sabem e não fazem nada?”

Confrontámos o vereador José Guerreiro e a resposta não podia ser mais clara: “Não há conformidade entre a obra aprovada e o que foi construído”.  A autarquia fez o que lhe competia e notificou os responsáveis da obra no sentido de demolirem o edificado. Mas qual é afinal o poder de uma notificação?

A verdade é que não faltam exemplos em como se trata de um expediente para adiar o que quer que seja. Só que, neste caso, em vez de assobiar para o lado, a autarquia acompanhou a situação e a obra foi mesmo demolida. Fica no ar a pergunta: se não fosse o alerta dos moradores o desfecho seria o mesmo? Verdade, verdade, é que vale sempre a pena protestar.

 

Ver comentários