Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Avaliação bancária da habitação sobe 7,7% na Área Metropolitana de Lisboa

Valor mais elevado foi observado na AML (1.599 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (850 euros/m2).
Lusa 28 de Julho de 2021 às 12:28
casas habitacao Lisboa rotunda marquês de Pombal
casas habitacao Lisboa rotunda marquês de Pombal
O valor mediano de avaliação bancária subiu 8,6% em junho, em termos homólogos, para 1.215 euros por metro quadrado (m2), mais três euros do que no mês anterior, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

"Em junho de 2021, o valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1.215 euros por metro quadrado (euros/m2), tendo aumentado 0,2% face a maio (1.212 euros/m2)", concluiu a autoridade estatística.

Segundo o INE, em junho, o número de avaliações bancárias consideradas ascendeu a cerca de 30.000, mais 82,6% do que no mesmo mês do ano anterior.

Em junho do ano passado tinha ocorrido pelo terceiro mês consecutivo uma redução significativa do número de avaliações em consequência da pandemia de covid-19, lembrou a entidade.

Das cerca de 30.000 avaliações, 19.157 foram apartamentos e 10.899 moradias.

Por regiões, o maior aumento face ao mês anterior registou-se no Algarve (1%), ao passo que o Alentejo apresentou a descida mais acentuada (-1%).

Em comparação com o mesmo período do ano anterior, a variação mais alta registou-se na Área Metropolitana de Lisboa (AML) (7,7%) e a menor nos Açores (0,7%).

No mês em análise, o valor mediano de avaliação bancária de apartamentos foi 1.339 euros/m2, tendo aumentado 9,8% relativamente a junho de 2020.

O valor mais elevado foi observado na AML (1.599 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (850 euros/m2), enquanto a Madeira apresentou o crescimento homólogo mais expressivo (10,5%) e os Açores a descida mais acentuada (-4,8%).

Já no que diz respeito a moradias, o valor mediano da avaliação bancária foi de 1.001 euros/m2, o que representa uma subida de 3,8% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Os valores mais elevados observaram-se no Algarve e na AML (1.611 euros/m2), e, no sentido oposto, o valor mais baixo foi registado no Centro (825 euros/m2).

Ver comentários