Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Contrabando em julgamento

O Tribunal de Setúbal inicia hoje mais um megajulgamento: nada menos do que 47 arguidos vão sentar-se no banco dos réus, por associação criminosa, contrabando de bebidas e tabaco e branqueamento de capitais. Ao todo um ‘rombo’ de 13,2 milhões de euros ao Estado.
13 de Fevereiro de 2006 às 00:00
Camiões transportaram bebidas de Portugal para a Suécia e Finlândia
Camiões transportaram bebidas de Portugal para a Suécia e Finlândia FOTO: Luís Oliveira
Seis dos arguidos estão em prisão preventiva, entre os quais o principal arguido Federico Virott, luso-espanhol, e o norueguês Stein Olav. Entre os arguidos estão, também, os responsáveis de 16 empresas de camionagem, suspeitos de terem participado nos crimes,
O Ministério Público acusa o grupo de contrabando de bebidas alcoólicas para a Suécia, Finlândia e Polónia, sem pagamento do IVA e do Imposto Especial sobre o Consumo (IEC), entre 1998 e 2004, bem como de tabaco da Bulgária, com destino à alfândega de Badajoz, em 2001. Para disfarçar os lucros ilícitos, foi usada uma estrutura com várias sociedades imobiliárias, interesses na indústria pesqueira, comércio de bebidas alcoólicas, tabaco e produtos alimentares e duas ‘offshores’, no Liechtenstein e Gilbraltar.
Dado o número de réus, o julgamento ocorre no auditório da Polícia Judiciária, antigo Tribunal.
HORTALIÇA DISFARÇA ÁLCOOL
Por camião TIR, comboio ou barco, o grupo exportou as bebidas alcoólicas, escondidas entre hortaliças e copos de vidro ou outras mercadorias não sujeitas ao Imposto Especial, para escapar ao controlo aduaneiro.
Foram feitos, pelo menos, sete envios para a Suécia e dois para a Finlândia, por estrada, bem como dois para a Polónia por comboio. O tabaco da Bulgária vinha escondido no interior de várias paletas de madeira.
Ver comentários