Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Endividamento cai 1,2 mil milhões de euros em julho

Endividamento do setor público, que engloba o Estado e as empresas públicas, caiu 3,2 mil milhões de euros.
Andresa Pereira e Lusa 22 de Setembro de 2021 às 08:47
Banco de Portugal quer os bancos a vigiar mais de perto as famílias em dificuldades para pagar os empréstimos
Banco de Portugal quer os bancos a vigiar mais de perto as famílias em dificuldades para pagar os empréstimos FOTO: Tiago Sousa Dias
O setor não financeiro, isto é, o Estado, empresas e famílias, viu o seu endividamento recuar 1,2 mil milhões de euros em julho passado face ao mês anterior, para 761,3 mil milhões de euros.

Segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal, quanto ao endividamento do setor público, que engloba o Estado e as empresas públicas, caiu 3,2 mil milhões de euros, para 347,3 mil milhões, tendo esta redução sido sobretudo “junto do exterior”. Já em sentido contrário, o endividamento do setor privado, que engloba empresas privadas e famílias, aumentou 2 mil milhões de euros para 414 mil milhões.

De sublinhar que, no final de julho passado, as empresas do comércio e das indústrias foram as que mais pesaram no endividamento das empresas privadas. A sua dívida representava, respetivamente, 17,6% e 17,1% do total. Seguiam-se as empresas dos setores das atividades imobiliárias (11,7%) e das de eletricidade, gás e água (10,2%).

O aumento da dívida foi transversal às várias classes de dimensão, mas foi nas grandes empresas que se registou o maior crescimento (1,1 mil milhões de euros face a junho deste ano).
Estado economia negócios e finanças macroeconomia endividamento estado dinheiro
Ver comentários