Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

"Estamos em condições de enfrentar esta crise sem receio de austeridade ou aumentar impostos", diz ministro João Leão

Para o ano de 2022 prevê-se um défice de 3,2%, para 2023 défice já estará abaixo dos 3%.
Correio da Manhã 15 de Abril de 2021 às 13:08
João Leão
João Leão

João Leão, Ministro do Estado e das Finanças, anunciou esta quinta-feira o Programa de Estabilidade português para 2021-2025.

Ao nível da divida publica o Governo prevê uma redução ano após ano. O ministro refere que se prevê uma redução do défice de 1,2 do PIB. Esta redução do défice tem a ver com a segunda fase da pandemia da Covid-19.

Para o ano de 2022 prevê-se um défice de 3,2%, para 2023 um défice abaixo dos 3% e continuará em queda nos próximos anos até chegar ao défice de 1%.

O Governo espera um crescimento da economia de 4% este ano, representando um crescimento de 9% até 2022.

"Prevê-se mais de três mil milhões de euros de apoios às empresas", garante João Leão.

Antes da pandemia conseguimos colocar as contas em ordem e por isso, "estamos em condições de enfrentar esta crise sem receio de austeridade ou aumentar impostos", diz o ministro.

João Leão garante que o Programa de Estabilidade cria "condições para uma forte recuperação económica e social". 

O Governo envia esta quinta-feira o Programa de Estabilidade para 2021-2025 à Assembleia da República, conforme indica o prazo definido pela Lei de Enquadramento Orçamental.

Dívida só voltará a baixar aos valores pré-pandemia em 2024
A dívida pública portuguesa só voltará a baixar ao nível com que iniciou a crise da pandemia de covid-19 em 2024, de acordo com números do Programa de Estabilidade (PE) apresentado pelo Governo.

Segundo a apresentação feita pelo ministro João Leão no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, em 2021 a dívida pública deverá ficar nos 128% do Produto Interno Bruto (PIB), baixando para 123% em 2022 e 121% em 2023.

Apenas em 2024 volta aos níveis pré-crise (fechou 2019 nos 117,6% do PIB), já que o Governo projeta que fique nos 117% nesse ano e baixe para 114% em 2025.

As anteriores previsões do Governo, datadas de outubro (aquando da apresentação do Orçamento do Estado para 2021), estimavam que a dívida pública atingisse os 130,9% este ano.

No ano passado, a dívida pública nacional atingiu os 133,6% do PIB.

Na semana passada, o Fundo Monetário Internacional (FMI) previu que a dívida pública portuguesa deverá ficar nos 131,4% este ano.

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) é a entidade mais pessimista, esperando que alcance os 139,7% do PIB este ano, ao passo que o Conselho das Finanças Públicas (CFP) aponta para os 131,5% do PIB.

Ver comentários