Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Fiscalidade sobre salários sobe em Portugal contrariando tendência na OCDE

Peso do IRS e das contribuições para a Segurança Social nos salários foi em média de 41,3%, mais 0,06 pontos percentuais do que um ano antes.
Lusa 29 de Abril de 2021 às 13:03
Dinheiro
Dinheiro FOTO: Getty Images
A carga fiscal sobre rendimentos do trabalho subiu em 2020, face a 2019, em Portugal, contrariando a tendência da maioria dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), segundo um relatório hoje divulgado.

Segundo o relatório "Taxing Wages" hoje publicado pela OCDE, no ano passado, o peso do IRS e das contribuições para a Segurança Social nos salários foi em média de 41,3%, mais 0,06 pontos percentuais do que um ano antes.

Portugal encontra-se assim num grupo de sete países (Portugal, Suécia, Turquia, Noruega, Coreia, Nova Zelândia e Austrália) onde houve aumento da carga fiscal sobre o trabalho, contra a tendência da grande maioria dos restantes 29 países onde esta desceu.

Na Colômbia, o peso da fiscalidade nos salários manteve-se.

No conjunto da OCDE, a fiscalidade sobre os salários era em média de 34,6% em 2020, menos 0,39 pontos percentuais do que em 2019, numa descida que, segundo a organização, reflete o impacto das medidas adotadas pelos países durante o contexto da crise da covid-19.

Em Portugal, segundo os dados da OCDE, o peso de impostos e contribuições obrigatórias para a Segurança Social numa família com dois filhos, com um dos membros do casal a ganhar o salário médio, atingiu no ano passado 30%, mais 0,08 pontos percentuais face a 2019.

Entre os trabalhadores solteiros, onde o peso da carga fiscal atinge os 41,3%, a subida face ao ano anterior foi de 0,06 pontos percentuais.

Nas famílias com dois filhos e dois salários (um correspondendo à média nacional e o outro representando 67% desta) a carga fiscal sobre os salários foi em média de 36,4% em Portugal, mais 0,09 pontos percentuais do que em 2019, um valor que compara com uma média da OCDE de 28,9% em 2020.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.152.646 mortos no mundo, resultantes de mais de 149,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.973 pessoas dos 835.563 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ver comentários