Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

Greve da Groundforce divide sindicatos

Cinco estruturas mantêm pré-aviso até que os ordenados sejam pagos, mas três recuaram.
João Maltez 23 de Julho de 2021 às 08:45
Alfredo Casimiro
Alfredo Casimiro FOTO: Direitos reservados
Cinco dos sindicatos representativos dos trabalhadores da Groundforce anunciaram esta quinta-feira que mantêm o pré-aviso de greve para os dias 31 de julho e 1 e 2 de agosto, até que os pagamentos dos salários e dos subsídios de férias em atraso sejam pagos. Há outros três que recuaram. No último fim de semana, a paralisação dos funcionários da empresa provocou o caos no aeroporto de Lisboa e cancelou centenas de voos.

Entre as cinco estruturas que mantêm a greve encontram-se o Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos, o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes de Portugal e o Sindicato dos Trabalhadores dos Aeroportos Manutenção e Aviação, os que têm o maior número de filiados.

A decisão surge após uma reunião com o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, na quarta-feira, na qual foi comunicado aos sindicatos que “a TAP [detém 49,9% da Groundforce] vai proceder ao pagamento do valor correspondente ao subsídio de férias e às anuidades em atraso diretamente aos trabalhadores”.

Os sindicatos dos Técnicos de Handling de Aeroportos, das Indústrias Metalúrgicas e Afins e dos Economistas anunciaram esta quinta-feira que retiraram o pré-aviso de greve. 


Ver comentários