Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Marcelo diz que há "duas boas razões" para estar atento e preocupado com a TAP

Presidente da República lembrou que a transportadora tem tido uma "posição estratégica" para Portugal, sobretudo nas ligações com as comunidades emigrantes espalhadas pelo mundo.
Lusa 11 de Maio de 2021 às 13:53
Avião da TAP
Avião da TAP FOTO: Mário Cruz/Lusa
O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou hoje que há "duas boas razões" para os portugueses estarem "atentos e permanentemente preocupados" com a situação da TAP.

Em declarações aos jornalistas sobre o pedido de insolvência da Groundforce, Marcelo disse ainda esperar que as questões jurídicas "e outras que possam existir não afetem o essencial, que é o interesse do país".

"Todos os portugueses acompanham com atenção o que se passa nesta matéria", referiu.

Marcelo lembrou que a TAP tem tido uma "posição estratégica" para Portugal, sobretudo nas ligações com as comunidades emigrantes espalhadas pelo mundo e com certos mercados que "têm sido fundamentais" para o turismo nacional.

Além disso, sublinhou que "há dinheiros públicos envolvidos".

"Há duas boas razões para os portugueses estarem atentos e permanentemente preocupados. O que se espera é que as questões jurídicas e outras que possam existir não afetem o essencial que é o interesse do país", disse ainda o Presidente.

Na segunda-feira, a TAP requereu, na "qualidade de credora", a insolvência da Groundforce junto dos Juízos de Comércio de Lisboa do Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa.

A transportadora justificou que o objetivo da ação passa por, "se tal for viável", salvaguardar "a viabilidade e a sustentabilidade da mesma, assegurando a sua atividade operacional nos aeroportos portugueses".

A Groundforce é detida em 50,1% pela Pasogal e em 49,9% pelo grupo TAP, que, em 2020, passou a ser detido em 72,5% pelo Estado português e que é acionista minoritário e principal cliente da empresa que presta assistência nos aeroportos de Lisboa, Porto, Faro, Funchal e Porto Santo.

Ver comentários