Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Sonae conclui venda de 24,99% do capital à CVC Advisers e alarga administração

Acordo, avaliado em 528 milhões de euros, prevê o pagamento do contingente diferido de até cerca de 63 milhões de euros à Sonae.
Lusa 18 de Agosto de 2021 às 17:55
CEO do grupo Sonae, Cláudia Azevedo
CEO do grupo Sonae, Cláudia Azevedo FOTO: CMTV
A Sonae SGSP anunciou hoje que concluiu a venda de 24,99% da Sonae MC à Camoens Investments, uma entidade detida pela CVC Advisers, alargando ainda o Conselho de Administração, que integra agora gestores do fundo, segundo dois comunicados.

Numa das notas, enviada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa "anuncia que foi concluída hoje a transação relativa à venda de 24,99% do capital da Sonae MC, SGPS, S.A. à Camoens Investments S. á r. l, uma entidade detida indiretamente por fundos geridos pela CVC Advisers Company (Luxembourg) S. á r. l, nos termos comunicados ao mercado em 31 de julho de 2021", indicou o grupo nortenho.

Em outro comunicado, a Sonae MC adiantou que "em Assembleia Geral Extraordinária hoje realizada foi deliberado o alargamento do número de membros do Conselho de Administração, de 9 para 12 membros" para "o remanescente do presente mandato em curso 2018-2021".

Entre os administradores, estão agora dois gestores da CVC, Jan Reinier Voûte e Pablo Julian Costi Ruiz, que, no 'site' da entidade aparecem como 'managing partner' e 'senior managing director', ou seja, sócio e diretor geral, respetivamente.

O Conselho de Administração é liderado por Cláudia Azevedo.

Num comunicado enviado no dia 31 de julho à CMVM, a Sonae SGPS revelou que o acordo, avaliado em 528 milhões de euros, prevê o pagamento do contingente diferido de até cerca de 63 milhões de euros à Sonae.

No acordo, que prevê a alienação de uma posição minoritária de 24,99% na Sonae MC, a unidade de retalho alimentar da Sonae foi avaliada em cerca de 2,4 mil milhões de euros, indicou a Sonae, precisando que a operação deveria "ser concluída durante o mês de agosto, e não está sujeita a quaisquer condições prévias" e que "não se estima que a transação gere qualquer mais ou menos valia para a Sonae SGPS".

"Esta transação permite à Sonae SGPS estabelecer uma parceria com um investidor de referência para apoiar o plano de crescimento da Sonae MC, mantendo uma posição de controlo num ativo essencial do seu portfólio", refere o comunicado, adiantando que "esta parceria enquadra-se na estratégia de gestão ativa de portfólio da Sonae SGPS, que procura a cada momento implementar a estrutura acionista ideal para cada um dos seus negócios e unir forças com parceiros de elevado valor acrescentado".

O comunicado afirma que "a Sonae MC é líder no retalho alimentar em Portugal, contando com quase mil lojas operadas diretamente, tendo alcançado 5,2 mil milhões de euros de volume de negócios e 527 milhões de EBITDA [resultado antes de impostos, juros, depreciações e amortizações] subjacente nos últimos doze meses, e gere um portefólio com vários formatos com vista a abranger todas as missões de compra dos seus clientes, sendo uma das marcas mais reconhecidas em Portugal".

Em relação aos compradores, o comunicado refere que "os fundos CVC são investidores financeiros de renome internacional, com um percurso de sucesso no estabelecimento de parcerias em todo o mundo".

"Estamos entusiasmados com esta parceria com a CVC Strategic Opportunities, pois acreditamos que esta relação de longo prazo fortalecerá ainda mais a Sonae MC, bem como a sua estratégia de crescimento", refere Cláudia Azevedo, CEO (Chief Executive Officer) da Sonae, citada no comunicado, adiantando que "esta parceria com um dos investidores institucionais mais bem-sucedidos do mundo valida o sólido histórico desempenho da Sonae MC e da sua equipa, especialmente após os desafios colocados pela pandemia".

"Na Sonae, estamos muito orgulhosos da jornada da Sonae MC e estimulados com a oportunidade de continuar a apoiar seu crescimento", afirma ainda Cláudia Azevedo.

 

Ver comentários