Barra Cofina

Correio da Manhã

Famosos
8

Uma Thurman mostra acidente nas filmagens de 'Kill Bill'

Atriz ficou chateada com o realizador Quentin Tarantino e resolveu agora desculpá-lo.
6 de Fevereiro de 2018 às 14:42
Uma Thurman
Uma Thurman com Harvey Weinstein
Uma Thurman
Uma Thurman
Uma Thurman com Harvey Weinstein
Uma Thurman
Uma Thurman
Uma Thurman com Harvey Weinstein
Uma Thurman

Uma Thurman, que foi musa de Quentin Tarantino em ‘Pulp Fiction’ e na saga ‘Kill Bill’, quebrou o silêncio e falou com a jornalista Maureen Dowd, do New York Times, sobre os abusos e assédio de que foi vítima por parte do produtor Harvey Weinstein, cuja empresa de produção (a Miramax), ganhou fama e negócio após o sucesso de ‘Pulp Fiction’. A atriz referiu ainda o acidente ocorrido durante as filmagens do primeiro filme de Kill Bill (2004) e, após voltar a ressurgir a polémica, divulgou o vídeo do momento.


Quentin Tarantin já disse que o acidente é "um dos maiores arrependimentos" que tem. Uma Thurman ficou com sequelas nas pernas e nas costas e ficou chateada com o realizador. Agora, já esclareceu o sucedido e assume que a culpa não foi de Tarantino.

"Publiquei este vídeo para recordar o que aconteceu após a exposição no NYT pela Maureen Dowd. As circunstâncias deste acidente foram negligentes ao ponto de serem crime. Mas não acredito que tenha havido qualquer má intenção. O Quentin Tarantino pediu muitas desculpas e permanece cheio de remorsos e de culpa, por isso deu-me as filmagens anos depois, para que eu as pudesse divulgar e chamar a atenção para o caso, ainda que se trate de uma situação em que a justiça já nunca será possível. Ele fez isto por mim, mesmo sabendo que o podia afetar pessoalmente e fico orgulhosa dele por ter feito o que está certo e pela sua coragem. Mas esconder o que se passou é imperdoável. Por isso tenho como responsáveis pelo que se passou Lawrence Bender, E. Bennett Walsh, e o famoso Harvey Weinstein. Eles mentiram, destruíram provas e continuaram a mentir pelo mal permanente que fizeram e que escolheram suprimir. Ao esconderem tiveram intenção maldosa e que estes três se envergonhem toda a vida", escreve Uma Thurman nas redes sociais, onde publicou um vídeo do momento em que vai ao volante de um descapotável e choca com uma palmeira.

i post this clip to memorialize it’s full exposure in the nyt by Maureen Dowd. the circumstances of this event were negligent to the point of criminality. i do not believe though with malicious intent. Quentin Tarantino, was deeply regretful and remains remorseful about this sorry event, and gave me the footage years later so i could expose it and let it see the light of day, regardless of it most likely being an event for which justice will never be possible. he also did so with full knowledge it could cause him personal harm, and i am proud of him for doing the right thing and for his courage. THE COVER UP after the fact is UNFORGIVABLE. for this i hold Lawrence Bender, E. Bennett Walsh, and the notorious Harvey Weinstein solely responsible. they lied, destroyed evidence, and continue to lie about the permanent harm they caused and then chose to suppress. the cover up did have malicious intent, and shame on these three for all eternity. CAA never sent anyone to Mexico. i hope they look after other clients more respectfully if they in fact want to do the job for which they take money with any decency.

Uma publicação partilhada por Uma Thurman (@ithurman) a

Uma Thruman ficou com lesões graves nas pernas, pés e nas costas, fruto do choque frontal do carro contra a árvore.

Assédio do ‘arqui-inimigo’
Uma Thurman contou que passava muito tempo com Harvey Weinstein, após o sucesso de ‘Pulp Fiction’, e que a primeira instância de assédio ocorreu num hotel em Paris. Weinstein terá tirado o roupão em frente à atriz, mas esta achou que era "tudo normal". Algum tempo depois ocorreu o que Uma descreve como sendo o "primeiro ataque", noutro Hotel, desta vez em Londres: "Ele imobilizou-me e tentou deitar-se em cima de mim. Mostrou-me o corpo dele e fez uma série de coisas muito desagradáveis e inapropriadas". Uma esclarece que, no entanto, não houve tentativa de violação.

No dia seguinte a atriz recebeu um ramo de rosas do produtor e concordou em encontrar-se com ele, com a ideia de o confrontar com o que se tinha passado. Para a ajudar levou uma amiga, mas o encontro acabou com Uma sozinha no quarto com Weinstein, a ser ameaçada de que o produtor acabaria com a carreira dela.

Desde então que Weinstein passou a ‘arqui-inimigo’ de Uma, ainda que a atriz tenha voltado a trabalhar com a Miramax. Como Quantin Tarantino insistiu muito com ela, aceitou participar em Kill Bill. Foi mesmo no final das gravações que foi pedido à atriz que guiasse um carro. Uma Thurman achou que a cena era perigosa, já que o carro descapotável não teria todas as condições de segurança, pelo que a atriz pediu um duplo.

O pedido não foi atendido por Tarantino e Uma sofreu o acidente, que lhe mudou a vida. "O Harvey atacou-me, mas isso não foi o que me matou. O acidente foi o que mais me marcou", defende a atriz.

Uma Thurman revelou ainda que foi violada por um ator quando tinha 16 anos. A atriz não identificou o responsável, mas referiu que, quando aconteceu o ataque sexual, ele "tinha quase mais 20 anos" do que Uma.

Ver comentários