Barra Cofina

Correio da Manhã

Insólitos
2

Cria perfume com os próprios fluidos vaginais

Mulher de 29 anos testou fragrância em vários encontros.
Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 15 de Fevereiro de 2017 às 17:45
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético
Allison Ramirez criou perfume com fluidos vaginais, rosa, cedro e almíscar sintético

Os perfumes contêm muitas vezes ingredientes estranhos, como almíscar ou ambergris. Que o diga a escritora norte-americana Allison Ramirez, que levou a personalização da fragrância que usa ao extremo e criou um perfume com os próprios fluidos vaginais.

Na revista Cosmopolitan, a jovem, de Los Angeles, explicou como criou o perfume e que testou o poder das feromonas femininas em vários encontros com homens.

Allison leu duas obras (‘The Joy of Sex’ e ‘Aphrodisiacs’), que abordam a temática dos odores femininos e como antigamente as mulheres usavam gotas de fluídos vaginais nos pulsos, mas quis experimentar em laboratório e criar um perfume a sério.

No Institute of Art and Olfaction, a jovem aprendeu que os fluidos corporais são muito voláteis para serem usados numa fórmula mas recomendaram-lhe outros odores que podiam ajudar na missão de criar a fragrância irresistível para os homens.

Usou fragrâncias de cedro, rosa e um concentrado sintético de almíscar. Depois de ter a fragrância criada, passou a aplicá-la e, em seguida, a molhar um cotonete na vagina, passando-o nos pulsos. Allison conta que usou este perfume em três encontros.

O primeiro encontro acabou com ela e um amigo de longa data aos beijos num bar e com ele a dizer-lhe ao ouvido "O teu cheiro deixa-me louco".

Allison tentou outra vez num encontro para brunch e, à despedida, ele voltou a marcar um encontro. Depois, a norte-americana tentou usar a fragrância no dia-a-dia e reparou que o empregado que a atendeu no café ou no supermercado foi bastante mais simpático.

Ainda que com resultados à vista, a jovem concluiu que talvez não tenha sido só o perfume a contribuir para o seu sucesso e considera que o ‘perfume vaginal’ tenha funcionado mais como ‘placebo’ (elevando-lhe a autoestima e a excitação’ do que como íman masculino.

Allison Ramirez Cosmopolitan Los Angeles The Joy ciência e tecnologia sexo sexualidade perfume fluidos vaginais