Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
1

Dinarte Pimentel (PAN) defende taxa turística em Ponta Delgada

"O que se nota é que os turistas se queixam sucessivamente de questões ambientais e de questões de acessibilidades e mobilidade", declarou.
Lusa 22 de Setembro de 2021 às 19:10
O espólio de Fátima Sequeira Dias foi entregue à Câmara de Ponta Delgada
O espólio de Fátima Sequeira Dias foi entregue à Câmara de Ponta Delgada FOTO: Jorge Paula
O candidato do PAN à presidência da Câmara de Ponta Delgada, Dinarte Pimentel, defendeu esta quarta-feira a criação, no concelho açoriano, de uma taxa turística que reverta para a preservação ambiental e para a melhoria da mobilidade.

Em declarações à agência Lusa, Dinarte Pimentel disse que o valor de uma taxa turística em Ponta Delgada poderia "reverter para melhorar" a oferta turística daquele município da ilha de São Miguel.

"O que se nota é que os turistas se queixam sucessivamente de questões ambientais e de questões de acessibilidades e mobilidade", declarou.

O candidato afirmou que Ponta Delgada tem "muitas lacunas" ao nível da rede de transportes públicos e considerou que "não existem alternativas ao transporte automóvel" para os turistas e para os locais.

"Se a mobilidade interna de Ponta Delgada for parcialmente paga com a taxa turística vai-se melhorar a mobilidade interna (...). Baixando os preços, vamos reduzir o transporte automóvel no centro de Ponta Delgada, potenciando o comércio local", assinalou.

Dinarte Pimentel defendeu que "é preciso dar condições" de mobilidade para que o concelho tenha um "turismo de qualidade".

"Como é que queremos receber turistas se não dermos a possibilidade de eles saberem como é que se vão deslocar?", questionou.

O candidato do PAN considerou ainda que o valor da taxa turística poderia ser aproveitado para a preservação ambiental, uma vez que, "em termos de sustentabilidade", Ponta Delgada ainda tem um "longo caminho a percorrer".

Dinarte Pimentel deu o exemplo dos cones vulcânicos que estão a ser "delapidados" devido à construção civil.

"Os nossos montes e os nossos cones vulcânicos estão sempre a ser cortados para a requisição da construção civil. Não há a preocupação em termos de impacto paisagístico", afirmou.

O candidato disse ainda defender a construção de empreendimentos turísticos de "baixa dimensão", criticando os "grandes empreendimentos turísticos" que revelam uma "enorme falta de sensibilidade" ambiental.

"Quando construímos um empreendimento turístico temos de pensar no impacto ambiental", assinalou.

Os candidatos à Câmara de Ponta Delgada são Pedro Nascimento Cabral (PSD), André Viveiros (PS), Vera Pires (BE), Luís Miguel Quental (IL), Luís Franco (Chega), Rui Teixeira (CDU) e Dinarte Pimentel (PAN).

Nas eleições autárquicas de 2017, o PSD venceu a Câmara de Ponta Delgada com 51,28%, alcançando cinco mandatos, sendo que os outros quatro mandatos foram conquistados pelo PS (39,11%).

O BE teve 2,06%, o PAN 1,80%, a CDU 1,05% e a coligação CDS-PP/PPM 0,95%.

Em 11 eleições autárquicas livres, o PSD presidiu quase sempre à Câmara de Ponta Delgada, com exceção do mandato 1989-1993.

As eleições autárquicas estão marcadas para domingo.

Ver comentários