Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
7

Joaquim Jorge quer ciclovia para cães e mais proteção animal em Matosinhos

O professor é cabeça-de-lista pelo movimento "Matosinhos Independente".
Lusa 21 de Setembro de 2021 às 17:50
Joaquim Jorge
Joaquim Jorge FOTO: Direitos Reservados
O candidato independente à presidência da Câmara de Matosinhos Joaquim Jorge defendeu esta terça-feira a criação de ciclovias para cães e de um concurso de ideias na área da proteção animal e da luta contra o abandono.

O professor, cabeça-de-lista pelo movimento "Matosinhos Independente" àquela autarquia do distrito do Porto, nas eleições autárquicas de domingo, pretende criar percursos pedonais com vias para cães, para que "as pessoas possam ir com o seu animal sem problemas para aquelas que não gostam ou têm medo".

Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores, que durante 14 anos promoveu debates com figuras públicas, explicou que Matosinhos se deve reconverter e reinventar a todos os níveis e que, na relação com os animais, deve aumentar a "literacia local" na área do bem-estar animal.

"É preciso que a cidade tenha uma outra relação com os animais. Proponho também um concurso de ideias que distinga ideias e projetos na área da proteção animal e luta contra o abandono", destacou.

Para o independente, deve ser ainda criado um cartão municipal de 'detentor responsável' que permita "um acesso a um conjunto de serviços veterinários a preços controlados".

Joaquim Jorge falava à Lusa durante mais uma ação de campanha na sua sede móvel, viatura que o próprio conduz, na companhia do "coordenador de proximidade", Manuel Coelho.

Esta tarde, a viagem, na carrinha de nove lugares decorada para a campanha, foi até Lavra, onde deixou panfletos com os integrantes do movimento "Matosinhos Independente", candidatura que destacou ser "de proximidade" embora a cobertura nacional "mais pareça ser para eleições parlamentares", devido à atenção dada aos líderes dos partidos.

"Como o Joaquim Jorge não tem um líder do movimento, não tem ninguém para chamar aqui a televisão", acrescentou o próprio.

Durante o trajeto, aproveitou para alertar ainda para a necessidade de serem "revistas as águas pluviais", devido à intensidade das chuvas que provocam cheias, defendendo o seu "redimensionamento".

E apelou à ida às urnas: "Matosinhos tem 150 mil eleitores e uma abstenção 75 mil pessoal. O PS teve 29 mil votos. Há uma grande faixa de pessoas que não vota e se essa faixa decidisse votar podia mudar a ordem das forças".

Joaquim Jorge apresentou ainda como proposta a criação da figura de Provedor do Cidadão, um "veículo para canalizar críticas, propostas e sugestões para melhorar a qualidade de vida" do concelho.

"Em tempo de modernização administrativa, a qualidade dos serviços municipais deve ser colocada à prova, não só através de rigorosos mecanismos de avaliação, mas também pela instituição de novos instrumentos de garantia de satisfação dos cidadãos", sublinhou.

São cabeças-de-lista à Câmara Municipal de Matosinhos nas eleições de domingo a atual presidente, Luísa Salgueiro (PS), José Pedro Rodrigues (CDU - coligação PCP/PEV), Bruno Pereira (coligação PSD/CDS-PP), Carla Silva (BE), Nuno Pires (PAN), Humberto Silva (Iniciativa Liberal), Israel Pontes (Chega), Joaquim Jorge (independente) e António Parada (independente).

Ver comentários