Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
4

Movimento independente de Castanheira de Pêra faz queixa contra jornal

Em causa estão supostas "informações falsas, discriminatórias e ofensivas" divulgadas pelo jornal com o objetivo de manipular o eleitorado.
Lusa 24 de Setembro de 2021 às 14:40
Eleições
Eleições FOTO: Getty Images
O movimento "Mudar Castanheira 21" apresentou queixa à Comissão Nacional de Eleições contra um jornal local que tem entre os proprietários a presidente da Câmara de Castanheira de Pera e recandidata ao cargo, por "informações falsas, discriminatórias e ofensivas".

Numa informação enviada à agência Lusa, o movimento independente, que tem como cabeça de lista à Câmara Luís Graça Oliva, explica que na edição de 22 de setembro o jornal 'O Ribeira de Pera' "divulgou um conjunto de informações falsas, discriminatórias e ofensivas com o claro objetivo de manipular o eleitorado de Castanheira de Pera", no distrito de Leiria.

"Os proprietários deste jornal são a candidata n.º 1 à Câmara Municipal de Castanheira de Pera, atual presidente da Câmara, Alda Carvalho, pela coligação PSD/CDS-PP - Por Castanheira. União, Renovação e Futuro, e o 9.º candidato à Assembleia Municipal de Castanheira de Pera, Carlos Correia, candidato pela mesma coligação", refere o movimento.

Na informação, na qual é anexada parte do jornal, incluindo a ficha técnica, lê-se que aqueles candidatos "não suspenderam a sua atividade na empresa, utilizando, agora, este meio de comunicação social para manchar publicamente as candidaturas alternativas, favorecendo a candidatura da coligação PSD/CDS-PP" em Castanheira de Pera, "onde os proprietários deste jornal se submetem a sufrágio" no domingo.

"Entre as acusações falsas e difamatórias constam, ainda, comentários discriminatórios e homofóbicos", adianta o movimento "Mudar Castanheira 21", salientando que "tudo isto acontece numa edição especial, lançada uma semana antes da data habitual de publicação deste jornal".

O movimento faz ainda saber que "já apresentou queixa às autoridades competentes" e "lamenta profundamente que, em pleno século XXI", se tenha de deparar "com tamanha falta de ética profissional, de respeito pelos candidatos e castanheirenses, de respeito pela verdade, de respeito pelos mortos e de respeito pela sexualidade de cada cidadão".

À agência Lusa, Luís Graça Oliva confirmou esta sexta-feira a queixa à Comissão Nacional de Eleições e reconheceu que a situação "não é uma surpresa", salientando que o jornal "tem feito afrontas sucessivas a tanta gente, ofendendo e escudando-se no direito à liberdade de imprensa para o fazer".

"Fazem uma edição, que sai uma semana antes [do previsto], para denegrir as listas adversárias, o que é lamentável, com várias ofensas, incluindo homofóbicas, o que é crime", disse o cabeça de lista do movimento "Mudar Castanheira 21".

Contactada pela Lusa, a presidente da Câmara de Castanheira disse que não presta declarações sobre este assunto.

Além de Alda Carvalho (PSD/CDS-PP) e Luís Graça Oliva ("Mudar Castanheira 21"), são também candidatos à presidência da Câmara António Henriques (PS) e Rui Baltazar (CDU).

Ver comentários