Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
2

PAN acusa Moreira de negar a existência de problemas no Porto

""Estamos perante um executivo municipal que continua a ignorar moradores", critica Bebiana Cunha.
Lusa 23 de Setembro de 2021 às 15:19
Bebiana Cunha, de 33 anos, PAN, psicóloga
Bebiana Cunha, de 33 anos, PAN, psicóloga FOTO: Fábio Cunha
A candidata do PAN à presidência da Câmara do Porto, Bebiana Cunha, acusou esta quinta-feira o executivo liderado por Rui Moreira de "negar que os problemas [da cidade] existem" e de "criar uma ilusão de gestão participada".

A cabeça de lista do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) falava à Lusa, no âmbito de uma visita à Rua Martins Sarmento, na freguesia de Paranhos, onde desde o início da pandemia os moradores de 52 habitações se queixam do "barulho noturno provocado pela entrada e saída de carros de recolha de resíduos".

"Estamos perante um executivo municipal que continua a ignorar moradores, é mais um exemplo na cidade. Infelizmente tem sido esta a posição permanente. Em vez de procurar resolver os problemas com os moradores entra numa versão negacionista, nega que os problemas existem e não aponta soluções", acrescentou Bebiana Cunha.

Fernando Castro, porta-voz dos moradores, contou à Lusa que, em março de 2020, foi feita uma "exposição por email à Empresa Municipal de Ambiente do Porto, que respondeu ir tomar medidas, mas que até agora não o fez". Expôs também a situação "à Administração Regional de Saúde do Norte, pedindo a comparência no local de um delegado de saúde para avaliar a situação, que também ficou sem resposta, e à Provedoria de Justiça, que delegou a resposta na Câmara do Porto".

"A situação atualmente é dramática. Não temos sossego. O barulho da entrada e saída das viaturas de recolhas de resíduos sólidos começa às 20:30 e prolonga-se até às 07:00. E é isto sete dias por semana, 365 dias por ano", lamentou.

Os moradores denunciam ainda "o cheiro provocado pelos detritos nos camiões e no chão, que atrai as gaivotas", assinalando que, por "duas vezes, questionaram o executivo, mas que nunca respondeu", relatou Fernando Castro.

O problema, acrescentou, não se resume a quem mora na Rua Martins Sarmento, pois "também afeta os moradores do Bairro do Carvalhido e de um lar de terceira idade".

Perante o testemunho, Bebiana Cunha insistiu na urgência de ser criada "uma solução", em vez de se continuar a "negar que os problemas existem, que a cidade está toda perfeita e criar uma ilusão de gestão de cidade participada".

"A solução passa por mudar o local de instalação desta frota, e ainda há dias estivemos na zona oriental [da cidade] e entendemos que há lá localização onde a câmara poderia instalar esta frota sem trazer prejuízos aos moradores", sugeriu a candidata.

Enfatizando estar-se perante "um problema de saúde pública", Bebiana Cunha entende que "falta vontade política para resolver os problemas e seriedade na forma como se tratam os moradores e os problemas na cidade".

São cabeças de lista à presidência da Câmara do Porto, nas eleições de domingo, o atual presidente Rui Moreira (movimento independente "Rui Moreira: Aqui há Porto" - apoiado por IL, CDS, Nós, Cidadãos!, MAIS), Tiago Barbosa Ribeiro (PS), Vladimiro Feliz (PSD), Ilda Figueiredo (CDU), Sérgio Aires (BE), Bebiana Cunha (PAN), António Fonseca (Chega), Diogo Araújo Dantas (PPM), André Eira (Volt Portugal), Bruno Rebelo (Ergue-te) e Diamantino Raposinho (Livre).

Ver comentários