Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
6

PAN recebido com assobios no Montijo

Líder do partido reafirmou a convicção de que o bem-estar animal é incompatível com a continuidade das touradas.
Andresa Pereira 22 de Setembro de 2021 às 01:30
Líder do PAN em campanha no Montijo, onde defendeu a reconversão da tourada
Jerónimo diz que sucessivos 
governos têm esquecido o Interior
O líder do iniciativa liberal, cotrim de figueiredo, deu a receita 
para ‘um portugal mais liberal’ enquanto fazia um refogado.
Líder do PAN em campanha no Montijo, onde defendeu a reconversão da tourada
Jerónimo diz que sucessivos 
governos têm esquecido o Interior
O líder do iniciativa liberal, cotrim de figueiredo, deu a receita 
para ‘um portugal mais liberal’ enquanto fazia um refogado.
Líder do PAN em campanha no Montijo, onde defendeu a reconversão da tourada
Jerónimo diz que sucessivos 
governos têm esquecido o Interior
O líder do iniciativa liberal, cotrim de figueiredo, deu a receita 
para ‘um portugal mais liberal’ enquanto fazia um refogado.
A líder do PAN, Inês de Sousa Real, foi recebida no Montijo com assobios por dezenas de aficionados, mas reafirmou a convicção de que o bem-estar animal é incompatível com a continuidade das touradas.

“Nós defendemos um passo civilizacional, que é deixar de provocar sofrimento aos animais na arena, defendemos que a atividade tem de ser repensada, tem que ser reconvertida numa atividade em que não exista qualquer componente de sofrimento animal, mantendo-se os trajes, as coreografias”, disse Inês de Sousa Real numa ação de campanha para as autárquicas de domingo.

Perante os protestos dos aficionados, que exibiam cartazes em defesa da tauromaquia e contra a presença da líder do PAN naquele concelho com tradição taurina, Inês de Sousa Real defendeu que, à semelhança da iniciativa legislativa do circo, se devem criar “alternativas” para que os profissionais do setor possam ter outra atividade, “sem a componente do sofrimento animal”.

A Câmara Municipal do Montijo é atualmente governada por uma maioria absoluta do PS, que tem quatro eleitos, enquanto a CDU tem dois e a coligação PSD/CDS apenas um.

Jerónimo acusa PS e PSD pela desertificação
O secretário-geral comunista defendeu esta terça-feira em Mora, um dos bastiões da CDU no distrito de Évora, que PS e PSD são responsáveis pela desertificação das regiões do Interior do País.

O concelho de Mora, governado pela CDU desde 1976, foi o que contabilizou a maior perda de população no Alentejo Central na última década, na ordem dos 17%. O dirigente comunista aponta como razões o adiamento de medidas estruturais para fixar a população, bem como o “ataque aos serviços públicos”.

Mora é um de quatro municípios no distrito de Évora presididos pela CDU. Os outros são Montemor-o-Novo, Arraiolos e a própria capital de distrito.
Ver comentários