Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
1

PS "ficou aquém da expectativa" de ser alternativa a Rui Moreira

"A verdade é que sabíamos que partíamos para uma luta difícil", considera Isabel Oneto.
Lusa 26 de Setembro de 2021 às 22:10
Isabel Oneto
Isabel Oneto FOTO: Pedro Catarino
A porta-voz da candidatura socialista à Câmara do Porto, Isabel Oneto, afirmou este domingo que as projeções indicam que o "PS ficou aquém da expectativa" de se tornar na "alternativa" à presidência do independente Rui Moreira.

"O PS candidatou-se à Câmara do Porto precisamente para apresentar-se como alternativa (...). As projeções dizem claramente que o Partido Socialista ficou aquém dessa expectativa. No entanto, a verdade é que sabíamos que partíamos para uma luta difícil. Partíamos com 11% nas sondagens e creio que conseguimos de alguma forma afirmar aquilo que são os nossos projetos para a cidade", afirmou Isabel Oneto, na sede do Partido Socialista, nos Aliados.

Numa reação às mais recentes projeções, a porta-voz da candidatura de Tiago Barbosa Ribeiro disse que as mesmas permitem uma "grande constelação na composição do próximo executivo camarário", face à margem de erro.

"Não é possível ainda verificar com rigor o peso exato de cada força em termos de mandatos. Portanto, vamos ter de esperar que haja uma maior consolidação dos resultados para podermos pronunciar-nos sobre a possibilidade de o PS ficar com os vereadores abaixo daquilo que tinha, mas mantendo pelo menos três, se o PSD tem dois ou três, se Rui Moreira tem seis ou oito, se o BE consegue eleger ou não", referiu.

Afirmando que "há ainda uma grande indecisão face às margens de erro" das projeções, Isabel Oneto rejeitou que os resultados do PS no Porto indiquem o "desgaste do partido" ou uma "derrota pessoal" de Tiago Barbosa Ribeiro.

"Creio que nem uma coisa nem outra. Creio que tivemos de facto uma percentagem maior nas últimas eleições autárquicas, mas num contexto diferente. Verificamos que a abstenção cresceu, que estas eleições estão a manifestar uma tendência igual àquela que tem sido a nível nacional, que é uma maior dispersão do panorama partidário. Só após essas leituras é que podemos de facto verificar o que é que aconteceu em cada um dos concelhos", referiu.

Isabel Oneto salientou ainda que o candidato socialista "ia partir de uma luta difícil em termos partidários" e que esta campanha foi "mais difícil para todos os partidos".

"Quem partiu dos 11% e tem agora uma projeção de 16 a 19% conseguiu de facto alcançar um resultado que não é de menosprezar", acrescentou.  

O candidato socialista Tiago Barbosa Ribeiro está reunido com a equipa de direção da candidatura.

Em 2017, o Partido Socialista obteve 28,55% dos votos, elegendo quatro vereadores na autarquia.

A Câmara do Porto é liderada por Rui Moreira, cujo movimento elegeu sete mandatos nas autárquicas de 2017, aos quais se somam quatro eleitos do PS, um do PSD e um da CDU.

Concorreram à presidência da Câmara do Porto Rui Moreira (movimento independente "Rui Moreira: Aqui há Porto" - apoiado por IL, CDS, Nós Cidadãos, MAIS -, Tiago Barbosa Ribeiro (PS), Vladimiro Feliz (PSD), Ilda Figueiredo (CDU), Sérgio Aires (BE), Bebiana Cunha (PAN), António Fonseca (Chega), Diogo Araújo Dantas (PPM), André Eira (Volt Portugal), Bruno Rebelo (Ergue-te), Diamantino Raposinho (Livre).

Ver comentários