Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
8

Basquetebolista Nilofar Bayat lamenta ausência de futuro e esperança no Afeganistão

Atleta paralímpica afegã afirma ainda que os talibãs "não mudam e são mais perigosos do que há 20 anos".
Lusa 23 de Agosto de 2021 às 15:15
Nilofar Bayat
Nilofar Bayat FOTO: Reuters
A capitã da seleção afegã de basquetebol em cadeira de rodas, Nilofar Bayat, recentemente recebida em Bilbau, garantiu esta segunda-feira que no seu país "não há futuro, não há esperança e nada para voltar".

Numa conferência de imprensa na sede da Comissão de Ajuda aos Refugiados (CEAR-Euskadi), Bayat agradeceu a todas as pessoas que a ajudaram e ao marido Ramish a deixar o país e pediu à ONU e outras instituições internacionais que auxiliem os refugiados afegãos.

"De repente, os talibãs chegaram ao governo e não podíamos acreditar na situação em que nos encontrávamos. No dia em que chegaram a minha casa destruíram tudo e fiquei com medo por mim e pela minha família", recordou a atleta paralímpica.

Nilofar Bayat relatou ainda o caos que presenciou ao chegar ao aeroporto, com milhares de pessoas a tentarem sair do país, e as agressões de que foi alvo, juntamente com o marido, antes de poder embarcar com destino a Espanha, via Alemanha.

Depois de pedir ajuda a dois soldados alemães, Nilofar Bayat e o marido conseguiram aceder a uma área restrita do aeroporto, local onde ficaram dois dias sem dormir nem comer até embarcarem num voo para a Alemanha e depois para Espanha.

"[Os talibãs] Não mudam e são mais perigosos do que há 20 anos. Estou muito triste porque todos os países estão a evoluir e o nosso a retroceder, principalmente no que diz respeito às mulheres, que estão em perigo, não podem trabalhar nem ter direitos", afirmou.

Bayat, que se manifestou preocupada com a família que ficou no Afeganistão, "sem expectativas para poder sair", afirmou-se, ao mesmo tempo, agradecida e feliz pela ajuda que recebeu por parte do governo espanhol "para começar uma nova vida".

"Não será fácil continuar a jogar basquetebol, mas não vou desistir. Quando estou na quadra, esqueço o que está acontecendo", disse Bayat, que já tem convite para jogar pelo Bidaideak Bilbao BSR, campeão da Liga de Honra de basquetebol adaptado da temporada passada.

Ver comentários