Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
3

200 soterrados nos escombros: A barbárie de Borodyanka depois das atrocidades em Bucha

"Tememos não encontrar ninguém com vida”, disse conselheiro do presidente da câmara.
Alfredo Leite(alfredoleite@cmjornal.pt) 7 de Abril de 2022 às 01:30
As imagens não deixam dúvidas quanto à violência do ataque das forças russas
Quem sobreviveu está horrorizado com a tragédia que se abateu sobre a vila
Prédios destruídos fazem parte do cenário de guerra
Destruição na Ucrânia
Casas destruídas fazem parte do cenário de guerra
Invasão russa configura crimes contra a humanidade
Casas destruídas fazem parte do cenário de guerra
Ataques destruíram a cidade por completo
Estátua da cidade com buracos feitos com tiros
Quem sobreviveu está horrorizado com a tragédia que se abateu sobre a vila
Habitantes fogem de Borodyanka após cidade ser destruída
As imagens não deixam dúvidas quanto à violência do ataque das forças russas
Quem sobreviveu está horrorizado com a tragédia que se abateu sobre a vila
Prédios destruídos fazem parte do cenário de guerra
Destruição na Ucrânia
Casas destruídas fazem parte do cenário de guerra
Invasão russa configura crimes contra a humanidade
Casas destruídas fazem parte do cenário de guerra
Ataques destruíram a cidade por completo
Estátua da cidade com buracos feitos com tiros
Quem sobreviveu está horrorizado com a tragédia que se abateu sobre a vila
Habitantes fogem de Borodyanka após cidade ser destruída
As imagens não deixam dúvidas quanto à violência do ataque das forças russas
Quem sobreviveu está horrorizado com a tragédia que se abateu sobre a vila
Prédios destruídos fazem parte do cenário de guerra
Destruição na Ucrânia
Casas destruídas fazem parte do cenário de guerra
Invasão russa configura crimes contra a humanidade
Casas destruídas fazem parte do cenário de guerra
Ataques destruíram a cidade por completo
Estátua da cidade com buracos feitos com tiros
Quem sobreviveu está horrorizado com a tragédia que se abateu sobre a vila
Habitantes fogem de Borodyanka após cidade ser destruída
O som das bombas desapareceu esta quarta-feira de Kiev, o que indiciará o controlo da capital pelas tropas ucranianas e confirmará a fuga do invasor russo rumo a norte, para a Bielorrússia. Mas o calar das armas na região também está a revelar os horrores desta guerra e a violência extrema com que a chamada ‘batalha de Kiev’ foi travada.

Depois das atrocidades em Bucha, agora emerge a barbárie de Borodyanka. A violência da ofensiva russa contra esta cidade, a cerca de 50 quilómetros a noroeste de Kiev, deixou-a arrasada. Vários prédios foram atingidos por mísseis que cortaram os edifícios, literalmente, a meio. Os impactos fizeram desmoronar as estruturas, transformando os imóveis em montes de entulho e é sua remoção que pode vir a revelar a catástrofe humana de Borodyanka. Anatoliy Rudnichenko, conselheiro do presidente da câmara de Borodyanka, disse esta quarta-feira aos jornalistas que “cerca de 200 pessoas podem ter ficado presas nos abrigos subterrâneos dos prédios” quando a pesada artilharia russa bombardeou os apartamentos.

“A esperança é a última a morrer, mas tememos não encontrar ninguém com vida”, disse. A procuradora-geral da República da Ucrânia vai mais longe: A invasão russa configura “crimes contra a Humanidade e contra a Ucrânia”, refere a procuradora-geral ucraniana, Iryna Venediktova.

Zhanna Demchuk sabe do que fala Venediktova. “Quando invadiram Borodyanka eles [os russos] ocuparam as nossas casas. Obrigaram-nos a sair. Sei de pessoas que foram mortas porque resistiram”, contou Demchuk ao CM enquanto revirava a sua casa bombardeada. “Vê isto? Há por todo o prédio”. Zhanna Demchuk aponta para as embalagens cartão verde, com uma estrela estampada, que guarda as rações de combate russas. “Primeiro comeram a nossa comida, depois acabou e voltaram a comer a deles”, acrescenta. Demchuk mora perto da praça principal de Borodyanka. A zona foi particularmente massacrada e os edifícios esventrados e queimados provam-no. No meio da praça, a enorme estátua de bronze do poeta Taras Shevchenko não escapou à fúria russa. Foi alvejada com um tiro na testa.



NATO abre portas a Suécia e Finlândia
O secretário-geral da NATO disse acreditar que, caso Suécia e Finlândia decidam candidatar-se à Aliança Atlântica, o processo será bastante rápido, dado estarem há muito próximos da organização.

Verdes reorientam exportações
A comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes cancelou as ações de promoção na Rússia e está a reorientar as exportações para outros mercados, como o mexicano, disse a diretora de ‘marketing’ Carla Cunha.

Finlândia apreende obras de arte
As autoridades finlandesas anunciaram ontem a apreensão de várias obras de arte de museus russos, que transitaram pelo país, no âmbito das sanções europeias contra Moscovo, no valor de mais de 40 milhões de euros.
Borodyanka Bucha Kiev guerra na Ucrânia Rússia Enviado Especial CM
Ver comentários
}