Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais
9

Jornalista russa acusa canal estatal de "lavagem cerebral" e pede à população que "desligue a televisão"

Zhanna Agalakova apela ao povo que desligue a televisão e use a internet.
Correio da Manhã 28 de Maio de 2022 às 10:39
Zhanna Agalakova
Zhanna Agalakova FOTO: Direitos Reservados / Facebook
A pivô e apresentadora russa Zhanna Agalakova, que trabalhava para um canal detido pelo Kremlin, demitiu-se dias depois de começar a invasão russa da Ucrânia e apela agoraao povo que desligue a televisão e use a internet.

Em entrevista à BBC, a jornalista explicou que em causa está a falta de liberdade existente na Rússia.

"Desliguem a televisão", apelou aos leitores Zhanna Agalakova, que acusa o canal detido pelo Kremlin de ser "uma máquina de lavagem cerebral" que "zombifica" a população.

Segundo a jornalista, a guerra "malvada" é sinónimo de "morte" e "é incrível" a forma como os meios de comunicação russos conseguem "fazer uma lavagem cerebral à população". "Procurem outras fontes de informação (...) vão à internet e abram o coração", aconselhou Zhanna Agalakova, acrescentando que no mundo dos programas dos canais estatais há "dois planetas diferentes".

"Esses dois mundos não se juntam e surpreende-me como é que eles o conseguem fazer", referiu a jornalista, descrevendo as contrariedades entre eles: Num dos mundos há "ruínas, um desastre total e tragédia" e no outro "planeta", as forças russas são "recebidas com flores pela população local" e é "só vitórias".

Zhanna Agalakova Kremlin Ucrânia economia negócios e finanças media Internet
Ver comentários
}